O delegado da polícia federal Orlando Neves, responsável pelas investigações da Operação Full House da Polícia Federal que apura crimes de fraude em licitações e desvios de recursos públicos federais na contratação de empresas para a execução de 11 obras em Araguatins, afirmou que investigações tiveram início após o relatório da fiscalização da Controladoria Geral da União (CGU) que apontava irregularidades nas licitações. “O foco das investigações era apurar fraudes em licitações de obras da prefeitura. As licitações eram direcionadas para determinadas empresas que pertenciam a laranjas do ex-prefeito”, conta.

Empresas de parentes e pessoas ligadas ao ex-prefeito do município e hoje deputado estadual Rocha Miranda (PMDB) teriam sido utilizadas para desenvolver esquema de desvio de dinheiro. A investigação abrange a gestão do atual prefeito, Lindomar Madalena (PSB) por dar continuidade no esquema.

Conforme o delegado, das 11 obras algumas existem e estão em fase inicial, outras estão com a construção adiantada porém inacabada, mas em alguns casos a obra nem chegou a sair do papel. Das obras inacabadas, a PF cita três creches do programa Proinfância, um posto de saúde e a casa da cultura de Araguatins.

“Não é suposta fraude, a fraude está configurada com a participação do ex-prefeito e do atual prefeito. Até agora apuramos o desvio de R$ 1,3 milhão, mas já há elementos que mostram que foram R$ 4 milhões podendo chegar a R$ 5 milhões”, ressalta Neves.

 

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.