foto_1
Lucas Porto esteve por duas vezes no condomínio no dia do crime

O empresário Lucas Porto, de 37 anos, confessou que matou a sobrinha-neta de Sarney, a publicitária Mariana Costa, 33 anos. Porto era cunhado da vítima. A motivação seria uma atração que ele tinha por Mariana. A informação foi divulgada pelo secretário de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela, em entrevista coletiva, na manhã desta quarta-feira, em São Luís (MA).

“Ele disse que tinha uma atração muito forte pela Mariana. Disse que foi ao quarto e a encontrou sem roupa. Lá, resolveu consumar seu desejo sexual. Daí se chegou a um resultado morte”, disse o secretário.

O depoimento que terminou com o crime sendo confessado foi prestado na Superintendência de Homicídio e Proteção a Pessoa (SHPP). Durante o depoimento, Lucas Porto foi acompanhado por três advogados. Vizinhos e familiares também estão sendo ouvidos pela polícia, pois a investigação continua.

marianacosta

“Houve violência de natureza sexual. Esta foi à manifestação dele. Negou no primeiro momento a autoria do crime, mas declinou agora. Contudo não muda nada na ação da polícia. Tudo que estava previsto para ser feito vai ser feito. Ele disse que tinha paixão incontida pela cunhada. Mas seguimos com as investigações”, declarou o secretário.

O objetivo da polícia com a sequência dos trabalhos é confirmar se o depoimento de Lucas Porto tem procedência.

“Este caso é difícil, pois envolve a subjetividade dele e o respeito em memória da vítima e a dor da família. Não estamos entrando em detalhes do depoimento dele, que foi madrugada à dentro”, concluiu o secretário.

O empresário teve a prisão preventiva decretada pela Justiça, na segunda-feira (14). Ele está preso juntamente com outros presos numa cela no Centro de Triagem, em Pedrinhas, ainda não confessou o crime. Mariana foi morta por asfixia.

No primeiro momento, Lucas Porto negou a autoria do crime. “Bom, essa é a chave da questão nesse caso. Até agora a Secretaria de Segurança não apresentou qual teria sido a motivação desse crime. O Lucas nega veementemente que ele tenha assassinado a vítima. Ele não teria nenhum motivo para isso. É preciso que não se descarte outras linhas de investigação”, disse Jonilton Santos Lemos Júnior, advogado de Lucas Porto, na segunda-feira (14).

O advogado disse ainda não ter tido acesso as imagens do circuito interno do condomínio. “Essas imagens que eles estão comentando que ele teria saído um tanto transtornado é preciso ter cautela. A defesa ainda não teve acesso a essas imagens. Todo condomínio apresenta vulnerabilidades, existem inúmeros prestadores de serviços também, funcionários, outros moradores. Então o que a defesa pede é cautela, serenidade e que outras linhas de investigação não sejam descartadas”.

Ainda conforme o advogado, Lucas Porto afirma ter retornado ao condomínio para conversar com a família. “Ele alega que teria retornado para conversar assunto de família como a cunhada como já fez inúmeras vezes”.

Dor e comoção

O enterro foi acompanhado por parentes, amigos de Mariana e da família. Sob forte comoção, os presentes fizeram várias orações e canções antes do sepultamento. O corpo foi velado em uma igreja evangélica no bairro Olho D’água, após liberação do Instituto Médico Legal (IML).

Mariana Menezes de Araújo Costa Pinto, foi morta dentro do condomínio em que morava, no bairro do Turu. Após ter sido encontrada, Mariana chegou a ser socorrida e levada para um hospital particular, mas não resistiu e teve morte confirmada na casa de saúde.

Conforme a Polícia Civil, ele teria usado um travesseiro para cometer o crime, depois de não conseguir estrangulá-la com as mãos.

Entenda o caso

Mariana Menezes de Araújo Costa Pinto foi encontrada morta na noite desse domingo (14), em seu apartamento, no nono andar de um condomínio, na Avenida São Luís Rei de França, no Turu, em São Luís. Ela é filha do ex-deputado estadual Sarney Neto e sobrinha-neta do ex-presidente da República e senador José Sarney. Mariana era casada e tinha duas filhas, ainda crianças.

Após ter sido encontrada no quarto, Mariana chegou a ser socorrida e levada para um hospital particular, na noite desse domingo, mas não resistiu e teve morte confirmada na casa de saúde. O corpo deu entrada no IML por volta da meia-noite de segunda e foi liberado por volta das 4h. (G1)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.