bunda

Um estudo da Universidade de Pittsburgh descobriu que o desenvolvimento do cérebro de um bebê depende dos suplementos de gordura que estão localizados nas coxas e bunda das suas mães, e a quantidade lá armazenada pode influenciar diretamente a inteligência dos seus filhos.

“A gordura nestas áreas é um depósito de alguns componentes vitais para a construção do cérebro de um bebê”, afirmou William D.Lassek

A gordura fornece um químico conhecido como ácido docosa-hexaenoico (DHA), que segundo Lassek é “um componente particularmente importante no cérebro humano”. É um ácido gordo Omega-3 que os bebês precisam para o desenvolvimento dos seus olhos e para o sistema nervoso do seu cérebro durante os primeiros seis meses de vida. A quantidade de gordura armazenada nessas zonas influencia, então, a inteligência e criatividade da criança.

Segundo o estudo, “a gordura na parte superior do corpo não é tão benéfica e a gordura da parte inferior do corpo tem efeitos positivos nos suplementos de ácidos gordos poli-insaturados que são essenciais para o desenvolvimento neurológico. Consequentemente, a relação cintura-quadril (RCQ), um substituto útil para a proporção de gordura na parte superior do corpo com a parte inferior do corpo, deve prever uma habilidade cognitiva nas mulheres e nos seus descendentes”. “Parece que as mulheres evoluíram para acumular estas gorduras e se manterem com elas – até um bebê chegar”.

O estudo também menciona que “a gordura e os padrões de depósito nas mulheres em idade reprodutiva parecem ser o resultado de uma selecção natural para a habilidade de suportar um bom neuro-desenvolvimento, não só fetal como também infantil (visto que esta substância também está presente no leite materno)”.

Os homens também parecem preferir mulheres com mais curvas. David Bainbridge, popular autor de textos científicos e biólogo da reprodução e anatomista de Cambridge, revelou a razão por trás das suas descobertas. “Como as curvas são tão importantes para a saúde feminina, no decorrer dos milênios os homens evoluíram para terem um desejo intrínseco por elas. Eles ‘sabem’ que uma mulher curvilínea tem maior probabilidade de lhes dar crianças saudáveis. ” Estas são, portanto, razões mais do que válidas para adorarmos as belas (e saudáveis) curvas abaixo da cintura! (The Science Times)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.