Dos dez sindicatos que integram o Movimento de União dos Servidores Civis e Militares Estaduais do Tocantins (Musme), seis já assinaram o acordo com o governo do Estado para o pagamento da data-base. O termo de acordo foi entregue aos sindicatos na última segunda-feira. As categorias estão em greve geral há 92 dias.

Segundo o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos no Estado do Tocantins (Sisepe), Cleiton Pinheiro, o termo afronta os direitos dos servidores em diversos aspectos e, por isso, o Sisepe não assinará o acordo. Pinheiro declarou ainda que agora espera que o projeto de lei instituindo a data-base seja enviado pelo governo à Assembleia Legislativa, assim como havia sido prometido, caso a maioria dos sindicatos tivesse assinado o acordo.

Em nota, o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde (Sintras) informou que suspendeu a greve, após assembleia geral na tarde de hoje, mas que só assina o acordo e os servidores voltam ao trabalho se o governo der algumas garantias e não ocorram retaliações, como o corte de pontos.

Já o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Tocantins (Sintet), José Roque, informou que há tendência é que o sindicato também não assine, no entanto, a deliberação só ocorrerá após assembleia geral da categoria, que ocorre amanhã, às 14 horas.

Os seis sindicatos que já assinaram o acordo (veja quadro) voltaram ao trabalho nesta semana. São eles: Sindicato dos Profissionais de Educação Física (Simpef); Sindicato dos Cirurgiões Dentistas do Estado (Sicideto); Sindicato dos Auditores da Receita do Estado (Sindare); Sindicato dos Médicos do Tocantins (Simed); Sindicato dos Inspetores da Defesa Agropecuária do Tocantins (Sindefesa); Sindicatos dos Farmacêuticos do Tocantins (Sindifato). (Jornal do Tocantins)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.