Aumentou para 49 o número de casos de microcefalia registrados no Tocantins neste ano, segundo a Secretaria de Estado da Saúde. As ocorrências estão sendo investigadas e ainda não há correlação com o Zika vírus. Na última semana, 40 casos já tinham sido notificados.

O Ministério da Saúde informou que os casos de contaminação por zika vírus registrados no primeiro semestre são a “principal hipótese” para explicar o aumento da ocorrência de microcefalia.

A microcefalia é uma condição rara em que o bebê nasce com o crânio do tamanho menor do que o normal. O zika é da mesma família do vírus da dengue, porém menos agressivo, e foi identificado pela primeira vez no Brasil em abril deste ano.

Zika vírus

Três municípios tocaninenses estão com casos confirmados de Zika vírus. Quatro casos foram registrados em Palmas, um em Araguaína e outro em Colinas do Tocantins. Cerca de 200 notificações estão sob investigação da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) no estado.

O Ministério da Saúde confirmou até o momento a morte de seis bebês por microcefalia, que podem estar relacionadas com o Zika vírus, nenhuma delas no Tocantins.

Doença

O Zika é transmitido pelo Aedes aegypti, o mesmo portador do vírus da dengue e do chikungunya.

Apesar de ter sintomas menos agressivos do que da dengue, a pessoa com Zika pode apresentar febre intermitente, erupções na pele, coceira e dores musculares. A doença evolui de forma benigna e geralmente essas manifestações desaparecem com aproximadamente três a sete dias.

Dengue

A Sesau divulgou também o número de casos de dengue confirmados em 2015. Até agora foram 16.824 notificações. Destes, 5.678 casos foram confirmados. Os números são superiores a 2014, quando 9.560 notificações foram feitas e 3.249 casos foram confirmados. (G1)

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.