Sem títuloOs advogados de Redenção, no sul do Pará, reclamam da falta de juízes no município. Segundo eles, a comarca tem 12 mil processos à espera de julgamentos e apenas dois juízes atendem por quatro varas e dois juizados na cidade, quando seriam necessários pelo menos 10 juízes para atender a demanda.

“Não tem condições de oferecer para o cidadão um serviço de qualidade que se espera do poder público judiciário. A demora na prestação acaba privando o cidadão de assegurar outros direitos fundamentais como liberdade, vida, saúde e dignidade”, afirma o advogado Marcelo Mendanha.

O Fórum de Redenção atende ainda os municípios de Pau D’arco e Cumaru do Norte. Quem tem ações pendentes também reclama da demora.

A técnica de enfermagem Célia Marina revela que está na Justiça reivindicando um acerto trabalhista há nove anos. Ela mora no município de Pau D’arco e reclama que sua casa está cheia de rachaduras e a família precisa receber o dinheiro para fazer uma reforma.

“É por falta de juiz, que ele falou pra mim essa semana. A minha casa está em tempo de cair em cima de mim e se viesse agora, seria bem vindo esse dinheiro porque eu tenho que reformar a minha casa. Nós temos que dar um jeito porque juiz tem que por os processos para frente”, diz Célia.

O advogado Manoel Franco, responsável pela causa de Célia, afirma que vai ao Fórum todos os dias reivindicar a situação.”Eu venho no Fórum todo dia pedir, reivindicar pelas pessoas, mas não andam, por que não andam? Por que não tem juiz? É humanamente impossível o juiz despachar 10, 15, 20 advogados por hora, vamos dizer assim” afirma.

O Tribunal de Justiça do Pará divulgou, em sua página na internet, que 30 candidatos aprovados no último concurso público para o preenchimento de vagas de juiz substituto serão convocados no próximo mês de fevereiro. O TJE ainda divulgou que as nomeações dos outros candidatos aprovados em concurso devem ocorrer quando a situação financeira do estado melhorar. No total, 94 candidatos foram aprovados para o cargo de juiz substituto.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.