A geração de emprego no setor agropecuário do Pará teve queda em 2015, conforme aponta pesquisa do Departamento Intersindical de Estudos Socioeconômicos (Dieese) com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho.

Os dados apontam que, só no mês de outubro – o último avaliado pela pesquisa – foram registradas 3.424 demissões no estado do Pará. Com isto, o estado responde por mais da metade dos desligamentos registrados na região norte que, somadas as demissões de todos os estados, chegam a 5.501.

Como o estado teve apenas 2.093 contratações durante o período avaliado pela pesquisa, o Dieese aponta que o Pará extinguiu 1.331 vagas de emprego na agropecuária. Para dar uma dimensão do que representam as demissões no Pará, o Dieese aponta que o segundo estado que mais perdeu empregos formais no setor agropécuário em outubro de 2015, o Amazonas, perdeu apenas 148 vagas.

Desemprego
Segundo a pesquisa, o Pará também tem o maior índice de demissões no setor agropecuário se levarmos em conta o balanço de 2015, que vai de janeiro a outubro, e o dos últimos 12 meses.

Nos primeiros 10 meses do ano o estado teve 25.332 contratações e 26.942 demissões, apresentando um saldo negativo de -1.610 postos de trabalho. Todos os demais estados da região norte tiveram crecimento neste período: Roraima, que teve o segundo pior desempenho do norte do país, criou 72 novas vagas.

Nos últimos 12 meses,o  Pará teve 29.267 contratações e 32.557 demissões, perdendo 3.290 vagas de emprego formal na agropecuária. Novamente o estado tem o pior saldo da região já que o segundo colocado, o Amazonas, extinguiu apenas 125 vagas de trabalho formais no mesmo período.

COMPARTILHE

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.