destaque-352559-gado-morto-1222

Mais sete animais foram mortos na madrugada do último sábado na fazenda Cedro, do grupo Agro Santa Bárbara, localizada na zona rural de Marabá, no sudeste paraense. Os animais foram encontrados na manhã de sábado, 4, pelos trabalhadores da fazenda em uma área conhecida como “Retiro Rio Pardo”. No local, foram encontradas sete vacas mortas e os pequenos bezerros, ainda em formação, que foram retirados dos animais.

Desde a madrugada da última segunda-feira, 30, a fazenda vem sofrendo com os ataques. Já são quase 100 animais mortos, com um prejuízo incalculável, principalmente porque os fetos não podem ser reaproveitados.

gado-morto-3222-06-12-2015-17-06-21

A cada novo ataque na fazenda, os gerentes realizam o Boletim de Ocorrência. O caso está sendo acompanhado pela Delegacia de Conflitos Agrários (Deca). Ainda na tarde de sábado, as polícias Civil e Militar realizaram diligências na área onde os animais foram encontrados mortos.

Segundo o delegado Alexandre Silva, titular da Deca, a dificuldade maior é por conta da logística da área e pela extensão da fazenda. “As diligências continuam por conta da Deca, considerando que a área da fazenda tem um acampamento do MST, e é por isso que estamos acompanhando”, declarou.

Ainda segundo o delegado, as investigações já estão avançadas, inclusive com nomes de suspeitos. “Já temos nomes e já tomamos vários depoimentos em relação a essa situação toda”.

O abatimento dos animais tem acontecido no período noturno e em pontos diferentes da fazenda. De acordo com o tenente coronel Hélio Barbas, comandante do CPR II em Marabá, as diligências investigam também os açougues clandestinos na região.

“Há indícios muito fortes de que a carne desses animais abatidos está abastecendo os açougues clandestinos da região, e estamos apurando isso junto com a Vigilância Sanitária”, declarou.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Marabá, Antônio Vieira Caetano, o “Neném do Manelão”, não é de agora que a matança de gado vem acontecendo na região e denuncia o crime em outras fazendas da região.

“Isso começou na fazenda Itacaiúnas, fazenda Maria Bonita e agora está se repetindo na fazenda Cedro”, disse ele. “Temos produtores afiliados aqui do sindicato que tiveram seus animais abatidos e isso acontece sempre próximo aos acampamentos do MST”, denuncia.

Desde o início deste ano, a fazenda Cedro tem sido alvo de ataques contra as vacas, que inclusive, já destruíram residências no local, e abateram mais de 800 animais.

Operação

Na última sexta-feira, 3, uma operação integrada realizada na Vila Sororó, resultou no fechamento de 12 açougues- sendo sete na Vila Sororó e cinco na Vila 45, localizadas a cerca de 35 quilômetros de Marabá.

A ação ocorreu após a matança de mais de 70 animais na fazenda Cedro, no início da semana. De acordo com o Superintende de Polícia Civil, delegado Marcelo Delgado, após levantamentos preliminares, foi identificado que a carne retirada de dentro da fazenda está sendo comercializada nos comércios das duas vilas.

Os doze açougues foram fechados por irregularidades como falta de nota fiscal das carnes para identificação de origem, porém não há comprovação de que seja proveniente da fazenda.

Os proprietários dos estabelecimentos foram intimados a comparecerem para prestar esclarecimento na Vigilância Sanitária e na Delegacia de Conflitos Agrários (Deca), que está investigando o caso dos abates do gado. (DOL com informações de James Oliveira/RBATV)

DEIXE UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: folhadobico@hotmail.com que iremos analisar.