Em sessão acalorada que aconteceu na última quinta (07), o vereador Ditola (PATRIOTA) no uso da tribuna disse que vai dançar de acordo como a música toca e não deixará passar aquilo que achar irregular ou suspeito, dentro do que a lei lhe determina. Mostrou ofícios que foram enviados ao município ainda no ano passado onde tudo foi protocolado, mas nunca teve respostas. Informou que mesmo tendo sido deixado de fora das comissões, quer que a mesa diretora faça valer a lei para que a oposição, que é minoria, tenha condições de defender os interesses da população.

O vereador mostrou dados comprovando que graças à atração de empresas como Suzano e outras, promovida pelo governo anterior, desde abril de 2017 Imperatriz começou a receber uma vultosa arrecadação de ICMS, aumentando em mais de 100 milhões de reais a receita, se comparada com a gestão passada, mas segundo ele não está sendo feito nada diferente do que o outro fazia, com esse expressivo valor a mais, pelo contrário, tem executado menos, pois não se vê construção de galerias, grandes obras ou ruas sendo recapeadas.

“Daria parar ter arrumado a cidade toda com esse dinheiro, fazer 270km de asfalto, comprar terreno e construir um novo Socorrão completamente equipado, comprar remédios e pagar salários durante um ano, ou se quisesse, poderia ter reformado todas as escolas. O dinheiro está indo literalmente para o lixo, e é isso mesmo! O município está gastando o triplo do governo anterior com recolhimento de lixo, que pagava 12 milhões por ano. Já foram pagos para a empresa de limpeza mais de 70 milhões só em 2017 e 2018, o que o governo passado gastou em oito anos, é inacreditável”, disse.

Para o vereador Aúrelio (PT) gastar em dois anos o que foi pago pela gestão anterior em oito anos é uma denúncia muito grave. “Vemos gente na BR todo dia aguando e limpando os canteiros talvez para ter justificativa. Todos sabemos que essa empresa do lixo foi fabricada nesse governo. O prefeito venceu em outubro, já em novembro estavam fabricando a empresa, foram enviadas várias denuncias para o MP e não avançaram. Através dessa coleta de dados, que possamos iniciar uma nova CPI do lixo para abrir essa caixa preta”, declarou.

Ditola disse que quer apenas que sejam cumpridas as leis e que se faça o que é correto. Não aceita de a casa de leis ficar subordinada à prefeitura, pois nem ofícios respondem mais, quanto mais prestar esclarecimentos. Informou que a oposição está totalmente fora das comissões especiais, mas não se calará pois o seu trabalho é servir aos interesses do povo. (Sidney Rodrigues)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected]otmail.com que iremos analisar.