Policiais Civis da 5ª Delegacia Regional de Guaraí, coordenados pelo delegado Adriano Carrasco, efetuaram no final da tarde da última segunda-feira (25), naquele município, as prisões de Larissa Valporto da Silva, de 36 anos, e Felipe Valporto da Silva, de 18 anos. Eles são suspeitos dos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico e foram capturados, em flagrante delito, quando se encontravam em uma avenida no centro da cidade.

De acordo com o delegado Adriano, mãe e filho já vinham sendo investigados pela Polícia Civil, há aproximadamente dois meses, devido ao possível envolvimento com a comercialização de substâncias entorpecentes na região e foram surpreendidos quando chegavam para efetuar uma entrega de drogas em uma boate, na Avenida Bernardo Sayão, em Guaraí.

Durante a abordagem, os policiais civis localizaram em poder de Larissa e Felipe, três porções de maconha. Dessa maneira, os dois foram conduzidos até a Central de Atendimento da Polícia Civil local, onde foram autuados, em tese, pela prática dos crimes de tráfico e associação para o tráfico de drogas.

Após os procedimentos legais cabíveis, Felipe foi encaminhado à Casa de Prisão Provisória de Guaraí e Larissa foi recolhida à carceragem da Cadeia Feminina de Pedro Afonso. Mãe e filho permanecerão à disposição do Poder Judiciário.

Para o delegado regional Adriano Carrasco, as prisões efetuadas representam o compromisso da Polícia Civil no combate à criminalidade, o que resulta em uma sociedade mais segura e livre das drogas. “A Polícia Civil do Tocantins está intensificando o combate ao tráfico de drogas e a criminalidade, em Guaraí e em todos os demais municípios do estado. Para isso, contamos com a população para que nos auxilie com denúncias, com a preservação do anonimato, e não deixe o crime prosperar”, ressaltou. (Rogério de Oliveira)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.