Empresários, contadores e auditores fiscais participaram do Fórum SPED – Sistema Público de Escrituração Digital, nesta quarta-feira (27), no auditório do Senai, na Nova Marabá. O evento, promovido pelo Conselho Regional de Contabilidade do Estado (CRC) em parceria da Secretaria Municipal de Gestão Fazendária (SegFaz), tratou sobre Nota Fiscal de Serviço Eletrônica, (NFS-e). Marabá é o único município da região Norte do Brasil que participa do projeto nacional.

De acordo com Joel Monteiro, delegado do CRC, o objetivo do Fórum é aproximar os contadores e empresários da nova realidade que é a padronização nacional da nota fiscal de serviço eletrônica com o armazenamento de dados totalmente digital aos moldes do que aconteceu anos atrás com as notas fiscais de comércio.

“Hoje existem mais de 5 mil municípios no Brasil e cada qual tem sua legislação própria, seu próprio sistema de emissão de nota fiscal e com essa padronização e unificação. Todos os municípios vão ter de adotar esse modelo”, enfatiza o delegado, ressaltando a possibilidade do controle das informações, redução de riscos de pagamentos de impostos indevidos, além de manter notas fiscais em dia.

A Nota Fiscal Eletrônica Nacional (NFS-e) ainda está em fase final de testes, mas Marabá desenvolve o projeto desde janeiro. Aldo Maranhão, Secretário de Gestão Fazendária, esclarece que a participação do município no projeto foi um pedido do próprio prefeito Tião Miranda e já está trazendo bons resultados na arrecadação, fiscalização e maior modernidade e tecnologia.

“Ganha não só a Prefeitura, mas o empresariado e profissionais da área da contabilidade porque vai uniformizar todas as informações, haverá um controle maior, uma maior rigidez, melhor forma de trabalho. O sistema será gerido pelo Governo Federal onde os municípios participarão e poderão emitir suas notas fiscais cruzando informações um com outro”, disse Aldo Maranhão, explicando que Marabá ainda está em fase de adequação do projeto.

“Já trabalhamos com nota fiscal eletrônica, temos nosso portal, mas esse é um módulo mais adiantado. Desde 2016 estamos trabalhando, aguardando algumas normatizações e assim que a legislação estiver pronta vão ocorrer as adesões do município” finalizou. (Leydiane Silva/Fotos: Hilton Rodrigues)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.