Os partidos dos senadores tocantinenses, Kátia Abreu, Eduardo Gomes e Irajá Abreu, já anunciaram oficialmente os nomes dos parlamentares escolhidos para liderar as bancadas durante os próximos dois anos. Nenhum dos tocantinense foi indicado ao posto.

O MDB de Eduardo Gomes indicou colo líder o senador amazonense Eduardo Braga. Já o PSD de Irajá Abreu, nomeou Otto Alencar, da Bahia e o PDT de Kátia Abreu, o maranhense,  Weverton Rocha.

Todos os partidos podem indicar líderes, independentemente do tamanho das bancadas. Mas só têm direito a uma estrutura administrativa específica as lideranças de siglas ou blocos parlamentares formados por pelo menos três senadores.

Atribuições

Os líderes têm atribuições específicas definidas no Regimento Interno. Eles podem indicar ou substituir parlamentares nas comissões; sugerir que colegas de bancada participem de missões no exterior; propor o encerramento da discussão de matérias; requerer a inclusão ou a retirada de projetos em regime de urgência; e orientar votações.

Nas votações simbólicas, a opinião dos líderes representa a posição de todos os liderados presentes. Nas questões de ordem decididas pelo presidente da Casa, só pode haver recurso ao Plenário se o requerimento tiver o apoio de um líder.

Nas sessões, o líder pode pedir a palavra por cinco minutos para fazer comunicação urgente — exceto durante a Ordem do Dia. Ele também pode falar por vinte minutos após as votações, com preferência sobre os demais oradores inscritos.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.