Profissionais do magistério no município de Riachinho, no Bico do Papagaio, estão indignados com a postura da prefeita, Diva Ribeiro de Melo (PR), que segundo a classe, a gestora tem se negado a dialogar para definir pautas como atualização da Lei do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR), efetiva implantação do piso nacional e reajusta nos níveis da inflação.

O grupo se planeja para realizar um ato público em protesto contra o descaso da prefeita e não é descartada greve geral.

Os docentes também discutiram sobre melhores condições de trabalho, meritocracia e outros assuntos pertinentes ao processo pedagógico.

O professores garantem que há cerca de um ano e quatro meses, a prefeita Diva reduziu os salários dos servidores da Educação, equiparando os valores ao ano de 2014. Sem se preocupar com as perdas fracionadas pela inflação, e dizem que a gestora vem tratando o assunto de modo pessoal, sem se atentar que o assunto é institucional e com Leis já claras sobre os temas.

Eles ainda afirmam que em dezembro de 2017, se formou uma comissão para estudo da receita do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e atualização da Lei do PCCR. Concluído todo o estudo de receita e impacto financeiro para o município, foi apresentado a prefeita Diva, que até o momento, nem contraproposta chegou a apresentar.

“Estamos no primeiro trimestre de 2019 com o salário de professor que corresponde ao ano de 2014. E o secretário municipal ainda diz que está terminando o estudo do PCCR. A situação é gritante em virtude da demora e da falta de interesse da Prefeitura. Ela (Diva) não tem noção da falta de valorização que passa os servidores da Educação deste município. Tem caso de professor que ganha R$ 1.334,00 com especialização e por 17 anos de serviço. Entretanto, contraria a lei do piso nacional visto que os professores recebem abaixo”, explicou uma das professora.

Nossa equipe tentou contato com a Prefeitura Municipal, mas os números de telefone que constam no site não atenderam as ligações.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.