Sem concurso público há pelo menos 8 anos, a Prefeitura de São Bento, no Bico do Papagaio, enviou para a Câmara Municipal, mais um projeto de lei para contratação de funcionários temporários. O fato, fez com que o vereador Aderson Araújo Rodrigues, o Adelsim do Povo (PP), cobrasse do prefeito Ronaldo Parente (PSDB), a realização de certame para efetivo e regular ingresso de trabalhadores no serviço público municipal via Concurso Público.

Segundo Adelsim, o último Concurso Público do município aconteceu ainda na gestão da ex-prefeita, Lafaete Milhomem (MDB), que é a atual vice e que depois disso, se tornou corriqueiro os gestores, todos os anos, enviarem projetos apenas para contratação de temporários, o que para o parlamentar prejudica o serviço público e a segurança do servidor.

Adelsim contou que o atual projeto enviado pelo prefeito, Ronaldo Parente, sequer, discrimina a quantidade de funcionários a contratar, suas funções e salários. “É um projeto vago, que dá muita abertura ao gestor fazer e desfazer o que quiser. Eles alegam que é para atender as necessidades temporária e excepcionais de interesse público do município. Em parte eles tem razão, mas não podemos ficar nessa de todo ano dar carta branca, temos que exigir o concurso”, disse o vereador.

O parlamentar também alega possível prática de improbidade administrativo, pois a gestão Ronaldo Parente, já entra em seu terceiro ano, usando do mesmo expediente. “O concurso público é a regra para o ingresso no serviço público. Tudo bem que em um início de mandato, até colocar a casa em dias, pode se admitir, mas já estamos no terceiro ano, já teria dado tempo de regularizar, sem contar que essa situação descumpre a norma constitucional que estabelece o concurso público como regra para o ingresso no serviço público. Temos de nos guiar pela legalidade, moralidade, impessoalidade e à eficiência” finalizou.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.