A jogadora de vôlei Fofão foi a grande atração no último domingo, 7, da cerimônia de inauguração do núcleo do Projeto VivaVôlei em Marabá. Este é o segundo núcleo do projeto no Pará que vai atender inicialmente a 192 crianças na faixa etária de 7 a 14 anos.

A cerimônia contou ainda com a presença do gerente do projeto, Marcos Aurélio Gonçalves. O VivaVôlei é um projeto social da confederação Brasileira de Voleibol. Em Marabá, o projeto será patrocinado pela concessionária Scania Itaipu Norte com apoio da Prefeitura Municipal. Implantado em 1999, pelo presidente da Confederação Brasileira de Voleibol, Ary Graça, o programa já existe em 10 Estados. Marabá é a segunda cidade do Estado a ganhar o programa social, que vai funcionar no Ginásio Olímpico “Renato Veloso”, na Nova Marabá, com aulas duas vezes por semana.

O objetivo do VivaVôlei, que recebe apoio da Unesco desde 2003, é utilizar o esporte para socializar crianças e incentivar a prática esportiva, levando os atletas de renome nacional para junto das crianças, como é o caso da jogadora Fofão, que foi levantadora da Seleção Brasileira de Voleibol, campeã olímpica dos jogos de Pequim. Hoje a atleta é jogadora da Blausiegel/São Caetano, de São Paulo, que disputa a Superliga Nacional de Voleibol.

As empresas interessadas em patrocinar o programa, através da lei de incentivos fiscais, poderão utilizar até 1% do valor pago ao Imposto de Renda (IR) no projeto. Desde que foi criado, o projeto já atendeu a 200 mil crianças. Segundo Antônio de Pádua, coordenador do programa em Marabá, a meta do projeto é chegar ao alcance de 700 crianças. De início, serão contratados três monitores e mais dois professores. A seleção será feita nas escolas públicas e privadas. Para participar da seleção, os alunos devem ser assíduos nas salas de aula e ter bom comportamento.

Sobre o patrocínio da iniciativa privada, Pádua considera isso um fator positivo, destacando aqui em Marabá a Scania Itaipu Norte, assim como a parceria da Prefeitura Municipal. “Nós [Secretaria de Esporte] recebemos o convite da Confederação Brasileira de Voleibol e a prefeitura deu todo apoio para trazer o programa para Marabá”, explica.

O representante da filial da Scania Itaipu Norte em Marabá, Ulisses Hernandes, ressalta que a empresa já patrocina o projeto social em seis locais. “Nós patrocinamos pela importância do projeto, que objetiva tirar as crianças das ruas e, consequentemente, reduzir o índice de criminalidade”, ressalta.

A jogadora Fofão destaca o crescimento do vôlei nacional, que hoje é referência mundial, não somente o masculino mas também o feminino, que conseguiu chegar ao alto do pódio olímpico. “A conquista feminina abriu as portas para que as pessoas incentivem o voleibol, dando oportunidade para que a nova geração pratique o esporte. Isso é importantíssimo, porque a renovação vinha sendo muito difícil, justamente por falta de apoio as categorias de base”, destaca a atleta. Para ela, deveriam ter mais outros projetos como o VivaVôlei, que dá oportunidade às crianças de conhecer o voleibol. “É uma iniciativa louvável. A gente torce para que outros projetos surjam com a mesma finalidade”.

Ela destaca também o incentivo que o vôlei profissional vem recebendo, com patrocínios que hoje permitem aos clubes manter atletas de ponta no Brasil, assim como repatriar aqueles que estavam jogando em clubes de outros países. “A gente espera que no futuro os jogadores não precisem mais sair do País. Se temos o melhor vôlei do mundo, também é para termos o melhor patrocínio”.

Há 17 anos na Seleção Brasileira de Voleibol e cinco olimpíadas disputadas, colecionando duas medalhas de bronze e uma de ouro, Fofão diz que procura passar essa experiência às novas gerações. “A vida de atleta não é fácil. É preciso ter dedicação para chegar a um resultado positivo. No meu caso, foram anos de dedicação, com minhas companheiras, para chegar a uma medalha de ouro”, afirma a jogadora.

No caso do VivaVôlei, Fofão diz que é um projeto que abre as portas para atletas e professores. “É um projeto importante e essa parceria, iniciativa pública e privada, é louvável, porque oferece às crianças novas oportunidades”, pontua a atleta, dizendo que estava gratificada de ter vindo à Marabá participar da inauguração do núcleo do programa.

O secretário de Esporte, Gentil Eduardo, lembra que assim que falou do projeto ao prefeito Maurino Magalhães este ficou sensibilizado e garantiu o apoio para a implantação do VivaVôlei na cidade. Ele também agradece a parceria da Scania Itaipu Norte. “É mais uma iniciativa com apoio da prefeitura, que vai atender à sociedade com mais uma modalidade esportiva. A cidade já tem várias escolinhas de futebol, mas ainda é carente em outros esportes, como é o caso do voleibol”.

Segundo ele, o prefeito Maurino está dando apoio a outras modalidades esportivas, com o objetivo de dar oportunidade aos jovens e tirá-los da vulnerabilidade social, que hoje se encontram.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.