No corrente ano já foram registrados 11 acidentes que tiveram a embriaguez ao volante como causa principal. Em todo ano de 2018, o número total de acidentes registrado tendo a embriaguez ao volante como causa principal foi de 56.

Mesmo diante do endurecimento da legislação e das campanhas educativas, muitas pessoas ainda insistem em associar bebida alcoólica com direção, em 2019 o número de pessoas flagradas dirigindo embriagada já é de 47, sendo que 21 delas foram presas em virtude da quantidade elevada de bebida consumida.

O último flagrante ocorreu no fim da noite de quinta-feira, 7, quando um homem foi preso por dirigir sob efeito de álcool. O fato foi registrado no km 1 da BR-226, município de Aguiarnópolis, no Bico do Papagaio, às 23h00, na oportunidade um homem de 35 anos foi abordado quando conduzia seu veículo Peugeot/2006.

Assim que abordado a equipe observou que o homem apresentava comportamento suspeito, após ser submetido a exame de alcoolemia constatou-se o teor de 0,94 miligramas de álcool por litro de ar alveolar.

O homem alegou que bebeu duas latas de cerveja por volta das 09h30min daquele dia e depois do almoço tomou também um pouco de vinho branco.

Diante da situação, o homem foi preso em flagrante e conduzido para Central de Flagrantes de Tocantinópolis.

Cumpre destacar que a PRF a cada ano aumenta seus esforços no combate a esta prática irregular e muitas vezes criminosa, no entanto, os números continuam preocupantes, demonstrando que referida conduta é de fato um problema de saúde pública.

Este cenário calamitoso desafia as autoridades e faz refletir sobre qual é a melhor forma de lidar com o assunto, sendo a conscientização uma das melhores ferramentas para prevenir essa situação. É fundamental demonstrar aos condutores que esta postura cultural é indevida e ilícita.

Cumpre ressaltar que mesmo as pessoas que têm consciência dos efeitos do álcool no organismo, muitas vezes cumprem a lei apenas pelo receio de serem alvo das penalidades legais – multa e prisão. Frente a este cenário, o poder público busca constantemente intensificar ações de fiscalização, assim como tornar a legislação mais rígida, com medidas administrativas e penas mais severas.

Indispensável se faz destacar que o álcool provoca inúmeras alterações no organismo de quem o ingere, tais como comportamento agressivo e tendência à imprudência, de forma paralela, o álcool também proporcionar uma visão turva a quem o ingere, além de problemas de concentração, redução dos reflexos e graves problemas de coordenação.

Segundo o Superintendente da PRF no Tocantins, Hallison Melo, “em 2018 a Lei Seca completou 10 anos, neste período observamos uma redução considerável no número de pessoas dirigindo após consumir bebida alcoólica, no entanto, apesar de o assunto já ser bastante difundido e os riscos da mistura bebida e direção serem incontestáveis, alguns motoristas ainda insistem na conduta, colocando em risco a sua segurança e das demais pessoas.”.

O Superintendente da PRF concluiu dizendo que “diante deste cenário, a PRF continuará intensificando sua atuação no trabalho preventivo por meio da educação para o trânsito, bem como punindo de maneira exemplar aqueles que insistem em infringir as leis”.

Destarte, resta límpido que a associação de álcool e direção é uma ação imprudente e que corrobora de maneira indiscutível com os altos índices de acidentes de trânsito, provocando nas lesões, muitas vezes irreparáveis, e até mesmo levando a óbitos.

Fique atento

Pensando em beber e dirigir? Uma vez flagrado você pode ser preso em flagrante e responder processo criminal. Tal conduta também configurar uma infração de trânsito gravíssima, que significa sete pontos na carteira e multa no valor de R$ 2.934,70, ainda pode ter o direito de dirigir suspenso por 12 meses e o veículo retido. E o mais grave, você está colocando sua vida e a dos demais em perigo.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.