A Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Araguaína, concluiu, nesta quarta-feira (20), as investigações referentes à prática de furtos de diversos aparelhos celulares, ocorridos na 2ª Vara Criminal e Execuções Penais de Araguaína.

Segundo o apurado, a pessoa de iniciais P.H.M.F. (24 anos), estudante de Direito e então estagiário da referida Vara, aproveitando-se do livre acesso que tinha nas dependências da Vara Criminal, adentrou no depósito, onde subtraiu vários celulares que haviam sido objeto de apreensão em operação da Polícia Federal.

Após subtrair os celulares, o suspeito repassou os aparelhos para uma outra pessoa, de iniciais L.I.S.C. (26 anos), tendo este comercializado os aparelhos com a ajuda de terceiro, qual seja N.C.L, de 36 anos. Depois que a Polícia Civil descobriu todo o esquema, o receptador L.I.S.C. recolheu alguns celulares, vindo a dispensá-los dentro do rio Lontra, visando com isso despistar os investigadores.

O delegado Luís Gonzaga da Silva Neto concluiu o inquérito, sendo o estagiário indiciado pelo crime de peculato-furto, cuja pena total pode chegar ao patamar de 12 (doze) anos de prisão. L.I.S.C. e N.C.L. foram indiciados pela prática dos crimes de receptação qualificada e fraude processual, cuja pena total também pode chegar a 12 (doze) anos de prisão. O caso agora fora encaminhado ao Poder Judiciário para as medidas cabíveis. (Rogério de Oliveira)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.