A sessão de julgamento do prefeito, Júlio Oliveira (PRB), terminou de forma frustrante na tarde desta terça-feira, 12, na Câmara Municipal  de Augustinópolis, após a revelação que o advogado escalado pelo Poder Legislativo para defender o gestor municipal estava com sua inscrição na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), suspensa.

O advogado foi escalado por conta de não poder ser julgado sem um defensor.

A informação foi revela momentos antes da sessão e o fato forçou o cancelamento do julgamento.

Uma nova sessão de julgamento foi remarcada para a próxima terça-feira, dia 19.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.