Local do crime

A líder rural Dilma Ferreira Silva, que atuava no Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) no Pará, é uma das vítimas de um triplo homicídio ocorrido em uma casa no assentamento Salvador Allende, zona rural de Baião e a 60 km de Tucuruí, na região de Carajás, no estado do Pará. As vítimas foram amarradas, amordaçadas e esfaqueadas, segundo as investigações.

O corpo de Dilma foi encontrado em uma cama. O maranhense Claudionor Amaro Costa da Silva, 42, esposo dela, e um conhecido do casal, Hilton Lopes, 38, foram encontrados mortos na entrada da residência, onde funcionava um mercado, de acordo com a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup). A casa estava toda revirada, quando policiais da Seccional de Tucuruí chegaram ao local.

As motivações do crime ainda estão sendo investigadas. Testemunhas disseram que viram seis homens chegarem no local do crime antes dos assassinatos.

De acordo com o MAB, Dilma era coordenadora regional do MAB em Tucuruí. Segundo o movimento, em 2011 ela participou de uma audiência com a então presidente Dilma Rousseff, quando entregou documento pedindo um política nacional de direitos para os atingidos por barragens e atenção especial às mulheres atingidas.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.