Dando continuidade às ações de combate à criminalidade no estado, policiais civis da Delegacia de Xambioá deflagram, na sexta-feira, 1°, a operação “Festa Limpa”, que resultou na prisão em flagrante de Davi Júnior Pereira de Sousa, de 25 anos, e na apreensão de várias porções de drogas, naquele município.

De acordo com o delegado José Antônio da Silva Gomes, titular da Delegacia de Polícia de Xambioá, durante a operação, os policiais civis deram cumprimento a mandado de busca domiciliar na residência de Davi Júnior, local onde foram localizados e apreendidos farto material relacionado às atividades ilícitas, sendo uma balança de precisão, 42 pedras de crack, 31 papelotes com características de cocaína, além de vários objetos de procedência ilícita, possivelmente trocados por droga.

Ainda segundo o delegado, o indivíduo já estava sendo monitorado pela Polícia Civil devido a fortes indícios que apontavam o envolvimento do mesmo com atividades ilícitas na região. “Já há algumas semanas, nossas equipes estavam investigando a conduta de Davi, uma vez que ele poderia estar ligado ao tráfico de drogas na cidade e, inclusive, utilizando sua própria residência como ponto de venda de entorpecentes”, disse.  

Diante dos fatos, o suspeito foi autuado em flagrante pela prática de crime de tráfico de drogas e, após a realização dos procedimentos legais cabíveis, recolhido à carceragem da Cadeia Pública de Xambioá, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

O delegado José Antônio ressalta que as ações de combate ao tráfico de drogas e à criminalidade serão intensificadas, com o objetivo de oferecer mais segurança à população, não somente nesse período de carnaval, bem como em todos os dias do ano.

“A Polícia Civil reitera seu compromisso com a sociedade, e estará sempre pronta a combater a criminalidade, visando livrar jovens do acesso às drogas, que são o grande mau do século”, frisou. (Ascom SSP)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.