A Polícia Civil do Estado do Tocantins, por intermédio da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Araguaína, concluiu, nesta quinta-feira (4), as investigações referentes à prática de crime de importunação sexual ocorrido em Araguaína, no dia 5 de janeiro.

Segundo apontaram as investigações, o autor, J.F.S, de 50 anos de idade, supostamente teria passado a mão na perna de uma mulher, enquanto estava dentro de um carro de lotação. Inicialmente, a vítima, de 29 anos, pensou que seriam os pés da sua sobrinha de 3 anos que estava em seu colo, mas devido à repetição dos movimentos, percebeu que, na verdade, se tratava do suspeito, que, sentado seu lado, passava a mão em suas pernas e levantava o seu vestido, enquanto demonstrava excitação. 

O investigado foi expulso do veículo e, mais tarde, foi encontrado pelo marido da vítima, que o indagou de suas motivações, obtendo a seguinte resposta: “É normal homens fazerem isso”, “Qual homem não senta perto de uma mulher e não tem tesão?”, conforme declarações juntadas aos autos do procedimento policial civil.

No dia do fato, o autor foi preso em flagrante, mas foi liberado em seguida na audiência de custódia. O delegado Luís Gonzaga da Silva Neto concluiu o inquérito, sendo J.F.S. indiciado pelo crime de importunação sexual, cuja penal total poderá chegar ao patamar de cinco anos de prisão. O caso agora foi encaminhado ao Poder Judiciário para as medidas cabíveis.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.