Apesar de ser um projeto estritamente de iniciativa do Poder Executivo, o Poder Legislativo é quem tem a palavra final sobre a autorização para privatização do Serviço Municipal de Saneamento (Semusa), proposta já enviada à Câmara Municipal, pelo prefeito Cláudio Santana (MDB), que defende a venda do órgão.

O projeto foi enviado a Casa de Leis na sexta-feira, 29 e já se encontra a disposição dos parlamentares. Ainda não há data para votação e será distribuído às Comissões.

Procuramos os vereador para conhecer a posição inicial de cada parlamentar sobre o assunto e a proposta parece encontrar resistência para aprovação na Casa de Leis. Serão necessários 2/3 dos votos, ou seja, para conseguir a liberação da negociação da privatização, Cláudio Santana terá de convencer 8 dos 11 vereadores.

Dentre os parlamentares ouvidos pela reportagem, 5 se manifestaram inicialmente contra: Sérgio Gomes (SD). Miguel do Cajueiro (MDB), Ian Cavalcante (PPS), Jairo Ribeiro (PTB) e Gilvan Neri (PSB). Destes, Sérgio e Cajueiro foram enfáticos em afirmar que não existe possibilidade de mudança de voto. Já Ian, Jairo e Gilvan, disseram que não tinham lido a proposta, não descartavam mudança, mas estavam estudando o assunto paralelamente e que vão escutar também a opinião da sociedade e de suas bases para uma decisão final.

Jairo por exemplo comentou que não adianta a Prefeitura querer privatizar o sistema, sem antes ter tentado profissionalizar a administração do órgão e promover a efetiva instalação de hidrômetros e cobrança das contas. Caso isso não der certo, ai sim, a gestão poderia pensar em privatização.

Gilvan Neri afirmou que já passou o final de semana pesquisando e lendo sobre o assunto, e tudo que viu foram queixas contra as privatizações dos sistemas municipais. “Ainda vou me aprofundar mais no assunto, mas até aqui, o que tenho visto, foram situações prejudiciais a população”, afirmou.

Ian lembrou que o que falta é gestão técnica para órgão e lembrou que a atuação da BRK e da ATS nos municípios do Bico, tem sido tão ruins, quando do Semusa em Araguatins, com a diferença da BRK e ATS cobrarem tarifas mais cara.

Indecisos

Messias Filho (MDB), Irmão Azevedo (PSC), Darlan Pernambuco (PR), Djacy Pereira (Progressista) e Leocy (MDB), declararam que ainda estão indecisos e precisam buscar mais elementos para tomar uma decisão.

Djacy por exemplo comentou que vai visitar pessoalmente outros municípios que privatizaram seus sistemas de água e saneamento, para conhecer. Messias, Darlan e Leocy afirmaram que vão escutar a população para tomar uma decisão. Irmão Azevedo não quis comentar, pois disse não ter no momento, conhecimento suficiente para se aprofundar no tema.

Tentamos contato diversas vezes com o vereador Manoel da Colônia (PRB), mas as ligações não foram atendidas.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.