O Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT) em parceria com o exército vai iniciar nesta terça-feira (2), o trabalho de construção de uma ponte móvel improvisada para restabelecer o tráfego de veículos na rodovia Belém-Brasília que sofreu um rompimento no quilômetro que compreende os municípios de Aurora e Ipixuna do Pará, sudeste do estado. Uma fila de caminhões se formou no local causando transtornos principalmente para aqueles que precisam transportar cargas para a capital.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), por conta da chuva forte, o rio Candiru transbordou e rompeu a pista no KM 236. A tubulação não suportou o volume de água e saiu destruindo tudo pela frente. Um desvio de 45 quilômetros está sendo feito. Ainda de acordo com a PRF, a única alternativa para quem está entrando no estado é pela BR-222, indo por Marabá.

Segundo os motoristas, outros ramais poderiam fazer esse desvio mas por conta da chuva estão intrafegáveis. Algumas pessoas estão usando uma canoa para fazer a travessia no local.

“Ficamos ilhados tentando uma rota de fuga, mas como os moradores daqui dizem pra atravessar e dar esse retorno está difícil porque o nível da água está um metro acima da ponte, ou seja, veículo pequeno não passa. Capaz de acontecer um acidente. Melhor não arriscar.”, disse um motorista que viajava de moto.

Caminho alternativo

O trecho interditado fica entre o município de Aurora e Ipixuna do Pará. A única maneira de chegar à capital é desviando pelo município de Dom Eliseu, na BR-222 até Marabá. Em seguida o motorista deve seguir pela PA-150 até Belém.

Problemas ao longo da rodovia

No KM 177 da BR-010 um grande buraco na rodovia também causa preocupação aos motoristas. A erosão já destruiu a metade da pista. O problema aconteceu há um ano e nada foi feito. Segundo os motoristas, foram feitos somente alguns reparos e uma sinalização foi colocada no local. Cerca de 10 quilômetros da rodovia frente problemas de rachaduras no asfalto são comuns.

O Dnit informou em nota que uma equipe já foi acionada e está realizando os levantamentos dos danos causados para saber quais os serviços necessários.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.