Policiais civis prenderam em flagrante por porte ilegal de arma de fogo e associação para o crime os presos Severiano Nazario da Silva, 57 anos; Antônio da Silva Nascimento, 42 anos; Danilo Brito Cintra e Antônio Batista da Silva, 54 anos. Neste sábado (13), uma equipe de policiais civis formada por integrantes da Superintendência Regional do Alto Xingu, Núcleo de Apoio à Investigação (NAI) de Redencao, Delegacia de Conflitos Agrários (DECA) de Redencao e Grupo de Pronto Emprego (GPE) se deslocou até uma fazenda pertencente ao falecido Evandro Geraldo Rocha Reis, que era conhecido como Rochinha e que morreu em queda de avião em julho do ano passado.

O objetivo da incursão policial foi averiguar denúncias de que, no final do mês de março deste ano, cerca de vinte homens armados em três caminhonetes, expulsaram diversas pessoas que haviam invadido a fazenda pertencente a Rochinha. A propriedade rural, que ocupa uma área de 1.600 alqueires, foi apreendida pela Polícia Federal ao constatar que Rochinha estava envolvido com o tráfico Internacional de drogas. Na fazenda, situada há 60 km da sede do município, foram encontrados quatro homens, recrutados em Marabá e Rondon do Pará.

Armados com espingardas, eles estavam no local para não permitir que pessoas estranhas entrassem na propriedade. Em depoimento, eles revelaram que foram recrutados por parentes da ex-mulher de Rochinha. No local, foram encontrados ainda farta munição para espingarda e revólveres, coletes balísticos, toucas ninja, coturnos e gandolas (fardamentos militares).

Segundo o delegado José Carlos Rodrigues, titular da Polícia Civil em São Félix do Xingu, os vizinhos da fazenda estavam aterrorizados com o vai e vem de homens armados pelas estradas e agradeceram a Polícia pela ação na localidade. “Fomos informados ainda que, momentos antes da chegada da Polícia, quatro homens armados de revólveres e pistolas, haviam deixado o local para usar o telefone. Os pistoleiros estão presos à disposição da Justiça.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.