O tempo vai passando, a gente vai vivendo, mas poucas coisas vão mudando. Não estou me referindo às mudanças do nosso corpo, ou sobre a nossa família ou a nossa vida pessoal. Quando digo que poucas coisas vão mudando eu me refiro ao desenvolvimento do nosso estado.

O jovem estado do Tocantins está doente precisando de cuidados especiais. Temos um povo bom e trabalhador, riquezas naturais incalculáveis, podemos nos desenvolver no turismo, na produção de alimentos e na logística. Sobre a produção de alimentos hoje já somos grandes produtores, mas temos potencial para multiplicar nossa produção de forma gigantesca e fornecer alimentos para muitos outros mercados e gerar riqueza e renda para o nosso povo.

Apesar dessas riquezas e potencialidades o Tocantins vive uma crise econômica e principalmente política e administrativa. E sobre essa crise me permitam fazer um mea culpa. Em parte essa crise é culpa sim da ação da muitos agentes políticos que em vários momentos foram omissos e trataram a máquina pública como uma fonte inesgotável de benefícios e desta forma sangraram o nosso estado com políticas equivocadas em várias áreas da gestão pública, e que ao longo do tempo pararam de investir em infraestrutura, produção, segurança, saúde e educação, além da incompetência que privilegia a corrupção e o desperdício. De outro lado o povo também tem falhado muito. Falha por não se envolver e por não analisar de verdade o perfil dos candidatos. Já vimos tantas vezes um eleitor buscar exclusivamente uma vantagem pessoal, seja uma quantia em dinheiro, ou um emprego, enfim, muitos eleitores nunca se preocuparam de verdade em fazer uma escolha adequada e permitiram então que muitos se elejam sem um compromisso real com o nosso estado.

Estamos quase chegando ao fundo do poço e por isso precisamos nos envolver e fazer algo para mudar essa história. Para mudar este contexto é preciso integração, os poderes constituídos, o setor produtivo e a sociedade organizada precisam se comunicar e integrar suas ações, tecnologias e conhecimento. Precisamos dar as mãos pelo nosso Tocantins. Essa integração honesta e focada certamente irá permitir que o Tocantins volte a se desenvolver. Temos muito a fazer, e não há mais tempo para agirmos como se o problema não fosse de todos nós.

Neste ano de eleições temos a oportunidade de melhorar e escolher pessoas comprometidas, que tenham um histórico limpo e que tenham capacidade de articular ações concretas de desenvolvimento. Não podemos mais nem eleger pessoas que só pensam em si próprias e que não tenham compromisso com a coletividade, e também não adianta eleger pessoas boazinhas e honestas, mas
incapazes de produzir resultados reais para o nosso desenvolvimento. Se queremos mudar os rumos do nosso Tocantins precisamos escolher representantes capazes de articular e integrar as forças da sociedade e do governo.

Honestidade, comprometimento, integração e desenvolvimento, são ingredientes que irão tirar o Tocantins do atoleiro.
Pense nisto!

Sandro Bandeira é formado em Administração pelo Ceulp Ulbra e articulador político no Tocantins. Contato: (63) 99215-9807 [email protected]

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.