Em um prazo recorde, a Justiça Eleitoral do Tocantins apurou os votos do segundo turno das Eleições Suplementares. A votação foi encerrada às 17 horas e em 30 minutos mais de 78% dos votos, concluindo a totalização às 19h15. O eleitor tocantinense escolheu o candidato Mauro Carlesse para governar o Tocantins durante mandato tampão, até o dia 31 de dezembro, com 368.553 votos, 75,14% dos votos válidos. O segundo colocado, Vicentinho Alves, obteve 121.908 votos, 24,86% dos votos válidos.

O comparecimento foi de 663.297 eleitores (65,14%) e os votos válidos somaram 490.461 (73,94%). Votos em branco somaram 17.209 (2,59%) e os nulos 155.627 (23,46%).

Escolhas

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins, desembargador Marco Villas Boas, após a apuração concedeu entrevista à imprensa e avaliou o processo eleitoral, destacando a importância de os eleitores refletirem sobre o valor da escolha dos candidatos. “É importantíssima a participação do eleitor nesse processo. Não há eleição sem eleitor, o eleitor é a peça principal, é ele quem deve dar a legitimação máxima ao pleito eleitoral e escolher bem. A abstenção não é a melhor política de escolha. Eu penso que, a ida às urnas, ainda que votem como esses inconformados que sufragaram o voto nulo, talvez em protesto por não quiserem sufragar nenhum dos candidatos, é muito mais interessante para a democracia do que a própria abstenção”, ressaltou.

Ocorrências

Foram disponibilizadas 3.718 seções de votação. Deste total, apenas 12 urnas precisaram ser substituídas. Somente três ocorrências policiais foram registradas pela Comissão de Segurança Institucional, sendo uma por venda de bebida alcoólica, em Luzimangues, uma  ocorrência em Sandolândia,  por propaganda eleitoral irregular e outra em Araguaína, também por venda de bebida alcoólica. “Tivemos uma eleição extremamente tranquila ao decorrer de todo dia”, disse o presidente da comissão, juiz Rubem Ribeiro de Carvalho.

Auditoria

O sistema eletrônico de votação passou por auditoria das 8 às 17 horas e ao final, o juiz Marcelo Faccioni, presidente da comissão de auditoria de votação eletrônica atestou a confiabilidade do pleito eletrônico. “O resultado final não apresentou nenhuma divergência, ou seja, as urnas são eficazes e seguras para o uso na coleta dos votos dos eleitores, disse”.

Ouvidoria

Durante todo o dia a Ouvidoria Eleitoral recebeu 390 chamados, sendo a grande maioria, 269 ocorrências, sobre local de votação; 41 sobre título eleitoral; 36 sobre situação eleitoral; 22 sobre justificativa; 10 sobre mesários; 6 sobre acesso à informação;  4 sobre denúncias; 1 sobre estatística e 1 sobre andamento processual.

Próximos passos

O pleno do TRE-TO tem até o dia 6 de julho para julgar as contas de campanha dos candidatos. A diplomação já está marcada para o dia 9 de julho, às 9h, no Auditório do TRE-TO. A posse ficará a cargo da Assembleia Legislativa do Tocantins.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.