O ministro Luiz Fux, do Tribunal Superior Eleitoral, aceitou pedidos feitos pela defesa de Marcelo Miranda (MDB) e Cláudia Lelis (PV) e enviou o processo que levou à cassação do ex-governador e da vice para análise do Supremo Tribunal Federal (STF). A decisão foi divulgada nesta terça-feira (26), dois dias após Mauro Carlesse ser eleito para o mandato-tampão do estado.

O argumento principal é de que o TSE levou em conta provas obtidas em celulares apreendidos de suspeitos, sem a autorização da Justiça. “Por essa razão e verificado o preenchimento dos demais requisitos inerentes ao apelo extremo, entendo que a questão, suficiente para a admissão dos extraordinários, merece melhor exame pelo Supremo Tribunal Federal”, disse o ministro Luiz Fux, na decisão.

Marcelo Miranda (MDB) e a vice Cláudia Lelis (PV) foram cassados em março deste ano pelo TSE. Os dois foram considerados culpados por captação ilegal de recursos para a campanha eleitoral de 2014. Na época, uma aeronave foi apreendida em Goiás com R$ 500 mil e santinhos do candidato.

A defesa deles tentou, em diversos recursos, suspender os efeitos da cassação até que o processo fosse analisado pelo Supremo, mas não conseguiu. Agora, todo o processo será julgado novamente.

Em caso de uma decisão favorável, o ex-governador pode até retornar ao Palácio Araguaia. Porém, de acordo com o procurador eleitoral Álvaro Manzano, é pouco provável que isso aconteça.

“Juridicamente, em tese, seria possível. Agora, nunca aconteceu do STF mudar esse tipo de decisão do TSE. Levando em conta, inclusive, que já ocorreram até eleições suplementares”, comentou. (G1)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.