Diante da morte, neste ano, de quatro crianças tocantinenses que esperavam por cirurgias de coração, a senadora Kátia Abreu (PDT) fez um apelo ao defensor público-geral do Estado. A parlamentar pede apoio do órgão para evitar novas tragédias semelhantes.

Em ofício enviado nesta quarta-feira (20), a parlamentar lembra que, no ano passado, intermediou o envio de 13 crianças tocantinenses com cardiopatia congênita para serem operadas na Santa Casa de Misericórdia da capital gaúcha – instituição de excelência e referência em cirurgia cardíaca. A medida foi necessária porque o Tocantins não realiza esse tipo de procedimento.

No documento enviado ao Dr. Murilo da Costa Machado, Kátia Abreu afirma que, à época das cirurgias, procurou a Defensoria-Pública de Saúde do Tocantins e se colocou à disposição para intermediar vagas a outros bebês na capital gaúcha, uma vez que a Santa Casa de Misericórdia havia se mostrado de portas abertas.

“Apesar da minha oferta de ajuda no ano passado, nesta semana fui surpreendida com a notícia de que, somente em 2018, quatro crianças com cardiopatia congênita morreram em decorrência da falta de cirurgia no Tocantins”, lamentou a senadora. “Por isso, solicito apoio no sentido de trabalharmos juntos para que mortes como estas possam ser evitadas no nosso Estado”, concluiu Kátia Abreu no ofício endereçado ao defensor geral.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.