Aguardado com muita expectativa, nesta quinta-feira (28), a Prefeitura de Tocantinópolis, por intermédio da Secretaria Municipal de Educação e Diretoria Municipal de Cultura e Turismo e, com o apoio das demais secretarias municipais, deu o ponta pé inicial no 30º Festival de Quadrilhas Arraiá da Alegria. O evento é considerado como um dos festivais culturais de maior tradição junina do Tocantins.

Uma multidão lotou o quadrilhódromo para prestigiar a primeira noite do festival, onde contou com as apresentações especiais das escolas Professora Aldenora Alves Correia, Pré-Escolar Santa Terezinha, Paroquial Cristo Rei, Alto da Boa Vista II e, XV de Novembro. Os grupos Superação do Cras de Tocantinópolis e Senta que te Levo, de Açailândia-MA, trouxeram mensagem de otimismo e determinação ao retratar sobre os cadeirantes e deficientes físicos, que em sua maioria não tem seus direitos respeitados.

Iniciando as competições do concurso, a primeira junina a se apresentar foi Matutos da Vinte, da cidade de Carrasco Bonito-TO. No seu primeiro ano, os brincantes expuseram o tema “Coco Babaçu”, no qual reportaram a árdua vivência das quebradeiras da matéria-prima, muito comum na região do Bico do Papagaio. “Extremamente feliz em poder participar desse que é considerado o maior festival de quadrilhas do Tocantins”, disse o coordenador da junina.

Pizada da Butina, representante da Capital Palmas, apostou em vestimentas de cores vibrantes e trouxe uma relevante e merecida homenagem para os professores. “Guerreiros do Giz: os verdadeiros heróis brasileiros” fez uma reflexão a essa profissão que ao mesmo tempo em que é tão importante também é a mais desvalorizada no Brasil. “Nossa temática é baseada nesses heróis brasileiros que para lutar pelo nosso país usam como armas sua capacidade de ensinar e passar conhecimento, de giz na mão são os únicos que podem mudar o Brasil”, destacou Whallas Furtado.

A junina referiu-se ainda ao nível de responsabilidade que um professor exerce sobre uma sociedade é quase sempre discriminada pela própria, que parece vendada por outras situações. “Professores são sujeitos de seu tempo: encaram os baixos salários, a falta de reconhecimento e prestígio, escolas precárias e a falta de incentivo e o excesso de burocracia para recriarem sua profissão. Mas isso não impede que muitos educadores saiam às ruas, entrem nas salas e inventem diariamente o significado de construir o conhecimento, de trabalhar na formação das futuras gerações e ajudar a lapidar um mundo melhor”, disse o diretor da Pizada da Butina, Whallas.

Com temas atuais que marcam e remetem aos variados temas da nossa história, cultura ou mesmo da atual conjuntura do nosso país, o 30º Festival de Quadrilhas Arraiá da Alegria seguirá até o próximo domingo, dia 1º julho. Para esta segunda noite de apresentações, são esperadas 8 juninas, além de participações especiais das escolas do município.

O prefeito Paulo Gomes, que esteve acompanhado da primeira-dama, Priscila Lutiane e, da vice-prefeita, Eleny Araújo, destacou sua felicidade em promover a trigésima edição do festival, durante sua gestão. “Tocantinópolis se destaca a cada ano por realizar um dos maiores eventos folclóricos e ininterrupto. Parabenizo a todos os que organizaram esse evento. É isso que nos motiva a melhorar cada vez mais este festival de significado cultural, na premissa de desenvolver a valorização cultural do nosso município”, ressaltou o prefeito.

Estrutura

A cada edição, a Administração Municipal traz grandes novidades, e essa não poderia ser diferente. Com uma estrutura bastante elogiada pelo público, a Diretoria de Cultura e Turismo organizou e ornamentou um excelente espaço. Praça de alimentação com barracas de comidas típicas, shows, culturais, casa de fotos e, decoração em clima de Copa do Mundo deixam o local com aspecto bonito e alegre. Durante os quatros dias de festival, público vai ter a oportunidade de dançar muito ao som de música regional. O primeiro a se apresentar foi Léo Dias.

“Nossa meta é fazer o diferencial, portanto, trazer novidades para o público que nos prestigia e reconhece nosso esforço para fazer um dos maiores festivais de quadrilhas da região norte do Brasil, sempre será nosso objetivo”, ressaltou o diretor de Cultura, Celino Nunes. (Dirceu Leno)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.