Um projeto de Augustinópolis, que trabalha com a cadeia produtiva do côco da macaúba no Bico do Papagaio, está entre os 34 finalistas do edital da organização não governamental (ONG) Brazil Foundation, na categoria Cidadania. Participaram da seleção 1.112 projetos de todo o País. Dos 34 selecionados, 25 devem receber recursos financeiros.

Esta semana, o analista de projetos da ONG, Ricardo Ferreira Mello, esteve na cidade para avaliar o funcionamento do projeto do Instituto de Elaboração de Projetos, Assistência Técnica, Social e Ambiental (Agroter), que funciona nos Projetos de Assentamentos (PAs) Professora Dejanira e Três Irmãos, respectivamente a 27 e 22 quilômetros de Augustinópolis.

O objetivo é estimular a cadeia produtiva e extrativista do côco da palmeira macaúba nas áreas de reforma agrária. O projeto funciona nos PAs com o processamento do côco e a produção de óleo, sabão, farinhas e adubos a partir desta matéria-prima. Caso consigam o apoio financeiro da ONG – a expectativa é de R$ 30 mil -, as famílias pretendem criar um viveiro de plantas e comprar uma máquina para extrair a amêndoa do côco, processo que atualmente é manual.

Este não é o primeiro projeto que a Agroter emplaca. Este ano, o Macaúba já conseguiu R$ 10 mil do Conselho Nacional dos Seringueiros. A associação investiu o dinheiro na compra de um motor triturador de amêndoas. (Weberson Dias – Jornal do Tocantins)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.