A coligação que busca reeleger Carlos Henrique Gaguim (PMDB) como governador do Estado e que tem como candidata a vice-governadora a ex-prefeita de Araguaína Valderez Castelo Branco (PP), ganhou um reforço de última hora. O PT, atendendo um pedido do diretório nacional, abriu mão de candidato próprio e se uniu ao PMDB e mais sete partidos (PP, PDT, PSB, PSL, PSDC, PHS e PPS). Com isso, Paulo Mourão, que era o candidato a governador, passa a ser o indicado pela coligação, que ganhou o nome de A força do povo, para o Senado junto com Marcelo Miranda. Além disso, a adesão do PT trouxe também o PRP e do PC do B para a coligação. Durante a convenção de A força do povo, ocorrida ontem próximo ao Paço Municipal de Palmas, o discurso era um só: ter a maior vitória proporcional do País, com democracia e unidade.

Segundo o candidato Carlos Gaguim, seu projeto de governo vai incluir todos os planos de governo de todos os partidos coligados. “Vamos fazer um compromisso, trabalhando dia e noite para fazer uma grande transformação no Estado”, afirmou Gaguim, durante deu discurso.

O candidato enumerou algumas ações realizadas em seu governo e fez promessas de campanha. Gaguim afirmou que o valor do salário do professor do Estado é o maior do País e que pretende tornar o de outras categorias também referência no Brasil, como por exemplo o da Polícia Civil. Em seu discurso, o candidato fez questão de ressaltar a volta da Fundação Universidade do Tocantins (Unitins) a oferecer cursos de nível superior gratuitamente. Entre outras ações, Gaguim citou a construção das pontes de Xambioá e Miracema, a compra de motos, que estavam expostas ontem em torno da Praça dos Girassóis, para a segurança do Estado e afirmou que no próximo mês chega um helicóptero para auxiliar o trabalho da Polícia Civil.

Críticas

Depois de ser criticado e acionado pela Justiça pela distribuição de bicicletas no Sudeste do Estado, Gaguim disse, em seu discurso, que as bicicletas são fundamentais para crianças da zona rural se deslocarem para a escola. “O presidente Lula tem o mesmo projeto para entrega de bicicletas a estudantes da zona rural”, justificou Gaguim.

O candidato criticou o partido concorrente, PSDB, pela ação que o partido moveu no Supremo Tribunal Federal (STF) pela demissão de servidores comissionados. “O PSDB fez festa com a decisão da Justiça e o Marcelo Miranda fez a lei (que readmitia os comissionados)”, explicou Gaguim, acrescentando que fará novos concursos e convocará os aprovados nos que já estão em curso.

Gaguim concluiu afirmando que sua bandeira principal de campanha será educação, saúde e segurança.

Senado

Candidatos ao Senado, Paulo Mourão (PT) e Marcelo Miranda (PMDB), declararam que, para eles, a vitória da chapa será ainda no 1º turno. “Queremos ver mais ruas pavimentadas e ver suas ações de leste a oeste desse estado”, disse Marcelo Miranda, acrescentando que está de cabeça erguida e não está preocupado com a possibilidade de sua candidatura não ser validada por causa da Lei da Ficha Limpa. “Não foi o povo que me tirou de lá, com todo respeito que tenho a Justiça. Mas se o povo quiser, eu serei eleito”, afirmou Miranda.

Para Paulo Mourão, o PT, nessa aliança, vai emprestar o seu pensamento e soma com os ideais do candidato a governador. “E os partidos coligados juntam seus projetos, seus sonhos, os debates de rua. Afinal, temos um compromisso com o Tocantins”, disse Mourão em seu discurso, que foi baseado em grande parte em justificar a decisão de seu partido de apoiar Gaguim e não lançar candidatura própria. “A ministra Dilma me questionou: ‘como andar separado se sempre andaram juntos?’ Acreditem que não é fácil abrir mão de nossa candidatura, mas temos entendemos que é uma soma de esforços com objetivos em comum”, declarou Mourão.

Paulo Mourão tem como indicados a suplentes, Élvio Quirino (PCdoB) e Pedro Dias (PT). Já Marcelo Miranda tem como 1º suplente Eudoro Pedrosa (PMDB) e seu pai Brito Miranda (PMDB) como segundo suplente.

Nome

O nome da coligação, A força do povo, foi o mesmo usado na campanha de Raul Filho (PT) à Prefeitura de Palmas, em 2008. O prefeito e sua esposa, deputada estadual Solange Dualibe(PT), não compareceram à convenção, mas foram lembrados por Gaguim e pelos presidentes estaduais dos partidos do PT e PMDB, Donizete Nogueira e Oswaldo Reis, respectivamente, pelas suas contribuições a união do PT nessa coligação. (Issabelle Bento – Jornal do Tocantins)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.