O promotor de Justiça do Ministério Público Estadual (MPE) de Xambioá, Luciano Casaroti, deve ouvir três pessoas durante o dia de hoje. Ele não divulgou os nomes para “não atrapalhar as investigações”. Ontem, o promotor ouviu os depoimentos do delegado Guido Camilo Ribeiro e o agente penitenciário plantonista do dia, Paulo Ezaquiel, que não estariam na delegacia no último final de semana, quando um preso foi flagrado cuidando do local. O promotor informou ao Jornal do Tocantins que deve pedir novos documentos e ouvir todos os envolvidos individualmente.

Segundo a assessoria de comunicação do MPE, o procedimento administrativo está em fase final. Passado o prazo para a conclusão do procedimento, que é de um mês, o MPE deve responsabilizar criminalmente a ausência dos servidores na delegacia. “Vamos ouvir todas as pessoas envolvidas e, no final, se o Ministério Público entender que houve alguma falta grave, vamos tomar as devidas providências”, disse ele.

Adolescente

Quanto ao adolescente de 13 anos que foi agredido na cidade, ele só deve ir à casa da família acolhedora provisoriamente nesta sexta-feira, até que seja encontrada uma família adotiva em um prazo máximo de seis meses. De acordo com a presidente do Conselho Tutelar local, Vanilde Avelino Rodrigues, a criança ficou durante todo o dia de ontem recebendo acompanhamento psicológico. (Weberson Dias – Jornal do Tocantins)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.