Marlon linchado pela população

Na madrugada deste sábado, 30, em São João do Sóter, a 413 km de São Luís, durante uma festa junina, três pessoas foram mortas, após um desentendimento para o encerramento de uma festa.

Segundo a PM, a discussão começou quando houve divergência entre o horário de encerramento do arraial, que estava previsto para as 2 h. O secretário de cultura do município, Cícero Rocha, disse que a festa deveria se prolongar por uma hora a mais e houve um pequeno tumulto. O suspeito de assassinar três das quatro vítimas, estava armado e deu um tiro para o alto. O secretário ao tentar conter o homem, acabou sendo atingido com um tiro no rosto e acabou morrendo.

A segunda vítima foi o vereador Antônio da Conceição Aguiar, conhecido como “Totonho”, que foi baleado ao tentar conter o assassino que ainda estava no arraial. Ao tentar fugir do local, o suspeito foi perseguido por um amigo das vítimas que foi identificado como Júnior do Nasa, que também foi atingido. As duas vítimas não resistiram aos ferimentos e faleceram.

O autor dos disparos foi identificado como Marlon e que segundo a polícia, já teria cometido um outro assassinato. Ele conseguiu fugir por uma área de matagal, na zona rural do município.

Um irmão de Marlon, que estava no local e supostamente teria ajudado o acusado a fugir,  foi linchado e tomado das mãos dos populares por policiais e levado para uma UPA da cidade de Caxias, mas não resistiu e veio a óbito.

Na madrugada deste domingo, 1ª, mais duas mortes foram registradas, subindo para seis o números de vítimas da confusão. O Marlon foi localizado e morto por um grupo de pessoas armadas com facas dentro de um matagal onde ele estava escondido. Antes, porém, o acusado matou um home de pré-nome Tárcio, o filho do ex-prefeito Clodomir Rocha, que havia avistado Marlon que efetuou um disparo com uma arma de fogo e atingiu a testa de Tácio. Os amigos de Tárcio partiram para dentro da mata e lincharam o assassino até a morte.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.