Policiais civis da Divisão Especializada em Meio-Ambiente (DEMA) deflagraram, nesta terça-feira, dia 17, uma operação denominada “Quimera” para combater um esquema de fraudes relacionadas a crimes ambientais, em Dom Eliseu, nordeste paraense.

Foram cumpridos quatro mandados judiciais de busca e apreensão de documentos que serão usados na investigação sobre a existência de empresas constituídas na cidade com utilização de “laranjas” (pessoas que “emprestaram” seus nomes para esconder beneficiários do crime) em seus quadros de societários, com objetivo de “esquentar” madeira extraída de forma ilegal na região

Três mandados de prisão temporária foram decretados pela Justiça, mas, no momento da operação, as pessoas investigadas não foram encontradas na cidade e estão foragidas.

Segundo o diretor da DEMA, delegado Luís Xavier, em um dos locais, onde foi cumprido um mandado de busca e apreensão, os policiais civis encontraram diversos documentos queimados, alguns deles ainda com a brasa acesa, demonstrando que os papéis haviam sido queimados durante a noite anterior à chegada dos policiais civis ao local.

“Mesmo assim, vários documentos foram apreendidos na sede de uma das empresas e na residência e escritório de um dos alvos da operação que estava com a prisão decretada”, destaca o delegado. Além de documentos, computadores que podem conter arquivos de interesse da investigação foram apreendidos. Tudo vai passar por análises e perícias. Estão foragidos Marco Antonio Siviero, Edson Luiz Zampiva e Júlio do Nascimento Tavares, acusados de participação ativa no esquema. Participaram das diligências os delegados Luís Xavier, Rayrton Carneiro, Cláudio Gomes, Tarsio Martins; e escrivães Aroaldo, Marco Antônio e Ana Lúcia, e investigadores Marcelo Tobias, Frailan, Lourival, Coelho, Edelvan, Lira, Matos, Dione e Vitor Bino.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.