Shows, lazer e entretenimento são os atrativos para os frequentadores da Praia do Cacau, no período de veraneio, com programação desenvolvida pela Prefeitura de Imperatriz. Além das apresentações de cantores e bandas regionais aos domingos e feriados, público vai conferir o Projeto Pôr do Sol Cultural ITZ. Na agenda, 25 participações musicais e diversas atividades começam a partir das 16h, no sábado, 28, e terminam às 2h da manhã do dia seguinte.

No palco principal, artistas circenses, poetas, dançarinos, hip-hop, e cantores de vários gêneros musicais. “O diferencial desta segunda edição vai ser a apresentação na Praia do Cacau, aproveitando a estrutura fornecida pela prefeitura. Como temos essa parceria com a Fundação Cultural resolvemos participar dessa programação de verão e vamos trabalhar, também, a consciência ambiental, uma bandeira de nosso instituto”, destacou o idealizador Francisco Aldebaran, um dos fundadores da ONG que leva seu nome.

Na lista de atrações se destacam as bandas Madame Lulu; Cassinhu swingueira; GG e Banda; Família Marola; Banda Balada de Marte; Banda Senzala e Estúdio de Danças Djanes Monteiro. O número de artistas inscritos surpreendeu a coordenação do projeto, que vem ganhando muita popularidade em Imperatriz, pelas ações que vem desenvolvendo.

A ONG

O projeto Pôr do Sol Cultural ITZ foi concebido pelo Instituto Francisco Aldebaran de Cultura e Promoção Social, com sede e foro na cidade. Objetivo é promover eventos que estimulem coexistência pacífica da diversidade e a transformação de Imperatriz em grande polo de Arte Alternativa, com valorização dos artistas autorais, por meio de apresentações e manifestações culturais. Também por meio de atividades que envolvem escolas e comunidade, ONG busca promover inclusão social com oficinas de criação literária (lançamentos de livros), estudos de línguas, música e dança, entre outras, e sem fins lucrativos.

 

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.