Equipe da Superintendência Municipal de Proteção e Defesa Civil intensifica trabalhos de fiscalização nos postos de revenda de gás de cozinha GLP. Objetivo é checar a clandestinidade, condições de segurança e indicar medidas preventivas para reduzir riscos de acidentes. Vistorias acontecem em todo o município, por tempo indeterminado.

De acordo com o superintendente municipal de Proteção e Defesa Civil, Josiano Galvão, caso sejam constatadas irregularidades nos postos de revendas, as sanções pode ser de multas ou até fechamento do estabelecimento. “O gás de cozinha é um produto inflamável, que quando armazenado de modo irregular pode causar explosões ou até fatalidades maiores”, destaca.

Para o técnico de segurança do trabalho da Defesa Civil, Helimar Abreu, os serviços têm como meta oferecer segurança aos clientes e funcionários das revendedoras. “Constadas irregularidades, os responsáveis são notificados para corrigirem as alterações de segurança no prazo determinados por lei. Transcorrido o prazo, e sem o cumprimento de segurança elencado na notificação, os proprietários responderão as sanções da lei”, explica.

Durante os trabalhos são fiscalizados extintores com carga vencida, placas de sinalização inexistente, revitalização das plataformas, limpeza da área dos depósitos, sinalização com luz de emergências e atendimento às normas de segurança. Também são checados se os estabelecimentos possuem Alvarás de Licenciamento da Prefeitura, Defesa Civil e Corpo de Bombeiros.

Para denúncias do comércio informal de botijões ou outras irregularidades, a Defesa Civil disponibiliza o serviço via WhatsApp (99) 99152-0832, e podem ser feitas também diretamente no órgão, Rua Rafael de Almeida, nº 600, Bairro São Salvador, das 8h às 14h, de segunda a sexta-feira.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.