O período de veraneio gera renda e trabalho para dezenas de famílias até o mês de setembro, nas praias às margens do Tocantins. A segurança, padronização e fiscalização do transporte de passageiros, além da comercialização de produtos e utilização das áreas de banho são feitas pela Prefeitura de Imperatriz, que oferece toda a estrutura aos banhistas e frequentadores. Ações são desenvolvidas pela Superintendência Municipal de Proteção e Defesa Civil, em parceria com diversos órgãos.

Ernani Pereira de Araújo, tem 48 anos e há mais de 30 trabalha no transporte de turistas para a Praia do Meio. “Todos os dias eu acordo às 4h da manhã, não durmo mais, 7h já estou carregando pessoas. Aqui ficamos o dia inteiro e até à noite, enquanto tiver movimento”. Ele conta que nas outras épocas do ano, a renda vem da pesca.

De acordo com o barqueiro, neste período, toda a família se envolve nos serviços oferecidos nas praias. “Minhas  filhas também ganham dinheiro, como garçonetes na Praia do Meio”. Sobre as mudanças na profissão, ele pontua algumas. “Antes quando era barco a remo e não tínhamos, quem tinha motor, tinha tudo e agora todo mundo tem seu motorzinho. Antes não tínhamos placa, agora temos a placa indicando a praia bem no cais e temos um espaço aqui pros barqueiros, na sombra, uma barraquinha”.

Ernani já trabalhou como barqueiro no Porto da Balsa e no Curtume, levando pessoas em direção a outras praias da região, mas, afirma “onde gosto mais de trabalhar é aqui, indo para a Praia do Meio”.

Esclarecendo sobre a qualidade e segurança do transporte, declara: “Aqui temos tudo padronizado, temos camisetas que todos os barqueiros usam e as embarcações só saem com todos usando coletes. Seguimos as regras e não temos mais menores de idade trabalhando, como já aconteceu em outros anos”.

O pescador e barqueiro acrescenta ainda que eles são organizados pela Associação dos Proprietários de Barcos da Região Tocantina, Aprobarco, presidida por Raimundo Marinho Silva.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.