Cerca de 80 agentes da Guarda Municipal de Marabá, entre guardas e inspetores, receberão treinamento psicológico e formação específica para estarem aptos a portar arma de fogo. É que o município celebrou convênio com a Polícia Federal que autoriza o porte da arma letal, após o cumprimento de nove das dez exigências feitas pela PF, a próxima etapa a ser cumprida é o treinamento.

O superintendente geral da Guarda Municipal, inspetor Roberto Lemos, expressou que o órgão está lisonjeado por poder usar, posteriormente, após treinamento, arma de fogo.  Ele explica que o Curso de Formação que a Guarda Municipal tem de passar, é também de cunho psicológico.

O credenciamento será feito pela Polícia Federal. São 60 horas/aulas e 320 disparos de apenas um tipo de armamento. No total, devem ser efetuados em torno de 500 disparos de arma de fogo. “Para que a GM possa finalizar a etapa de convênio com a PF e realmente a Guarda esteja apta a utilizar essa arma de fogo, sendo o controle de toda utilização, ascensão dos agentes será feita pela Superintendência da guarda”, detalha Roberto Lemos.

Nas palavras de Lemos, trata-se de uma etapa importante, onde o governo do município reconhece o trabalho dos Guardas Municipais e nota a eficiência dos agentes. “Garantimos a integridade física da comunidade e agentes públicos, agora podemos contribuir ainda mais com a segurança pública, além daquilo do que a gente já está contribuindo”, enaltece o inspetor.

ETAPAS

Conforme o secretário municipal de Segurança Institucional, Jair Barata Guimarães, até aqui o trabalho foi árduo para responder todos os quesitos solicitados pela Polícia Federal. O secretário explica que, a Guarda Municipal solicitou a celebração para o porte de arma dos agentes, através da Prefeitura com a Polícia Federal, a qual foi encaminhada a Belém e, por consequência, a PF exigiu parâmetros para celebração de convênio. São 10 parâmetros os quais a GM já alcançou 9, sendo o último o treinamento.

Uma das exigências da PF era a Guarda Municipal possuir sede própria, com cofre para armazenar armas e munição. “Entre os quesitos estão instalação de câmera de segurança da sede, vigilância, sendo a última exigência o decreto da autorização da Prefeitura para celebração do convênio. “Quero deixar claro que ainda não será possível fazer o porte de arma agora, porque é uma celebração e falta a etapa de treinamento”, ressaltou Jair Barata.

A etapa de treinamento ainda não está firmada. Há possibilidade de realização com IESP (Instituto de Ensino de Segurança do Pará) – por meio da Segup (Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social), ou ainda através de empresa privada. A GMM já possui também comissão formada, com Corregedoria e Ouvidoria. “Estamos preparados para dar esse passo tão importante para o município, haja vista, que estamos tratando de agentes públicos que estão diuturnamente trabalhando, olhando pela segurança da nossa cidade, e que se expõe a risco”, destacou ele.

O secretário destaca que os agentes já trabalham com coletes e arma de choque, o que faltava era o armamento letal. “Porque temos constantemente assassinatos, assaltos e a Guarda Municipal já está fazendo outras atribuições que a lei 13022 do Estatuto Federal da Guarda Municipal atribuiu. Nós temos a Guarda Ambiental, Ronda Escolar, cobrimos ocorrência de Maria da Penha e temos ainda convênio com a Semma e DMTU, a fim de garantir a segurança dos agentes públicos”, explicitou ele.

Para Jair Barata, o armamento vem no momento de crescimento do órgão e ajuda no crescimento da segurança pública, melhorando o trabalho da efetividade. “Tenho certeza que não será feito o uso indevido [das armas]. Vamos ter todo o cuidado juntamente com a Corregedoria. Não vamos admitir nenhum uso fora da lei e ilegal”.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.