A Federação das Associações dos Municípios do Estado do Pará (Famep), representada por seu Diretor Executivo, Josenir Nascimento, esteve na última terça-feira (10), em reunião com o Ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, em companhia da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e da deputada, Elcione Barbalho. Definindo ainda, outra reunião que aconteceu na quarta-feira (11), às 10 horas com o Secretário Nacional de Energia, Coordenador do programa Luz para Todos e o Presidente da Famep e Coordenador da Região Norte da CNM, Nélio Aguiar, na companhia do Diretor Executivo, Josenir. Onde puderam confirmar a priorização do Marajó e os prazos para as obras da duplicação.

As duas reuniões deram a oportunidade para o debate do pleito interposto pela Federação juntamente com as associações sobre o Programa Luz para Todos para a região do Marajó, aproveitando a oportunidade também para a duplicação do Tramoeste.

Conquistas

A Famep fez o detalhamento dificuldades do atendimento do Marajo para o Secretario Nacional de Energia, onde foi demonstrada a questão do problema de queda de energia de Santarém e demais regiões, o Secretário por sua vez, informou que para resolver o problema definitivamente, seria instalado um compensador síncrono que é responsável pelo nivelamento da queda de energia, com instalação prevista para janeiro de 2019 em Santarém e em 28 de fevereiro de 2019 em Rurópolis. Ou seja, os dois serão instalados na região.

A região também receberá uma subestação de rebaixamento de 230kV da Transamazônica, com sua conclusão prevista para o dia 19 de maio de 2020; Um linhão com tramo de 61km do Xingú até Altamira, sendo implantado até 28 de fevereiro de 2019; Seguindo também a implantação do linhão de 188km que vai de Altamira até a Transamazônica, estando com sua conclusão prevista para o dia 29 de março de 2020. “Então são essas obras previstas para poder regularizar os problemas de energia da região do Tapajós e região Transamazônica, com isso a Famep acredita que o problema de Santarém seja completamente sanado”, disse o Diretor Executivo, Josenir Nascimento.

Na oportunidade também foi acertado que o Marajó inteiro entrará na 7ª Trancha do Programa, que é o 7º contrato, hoje, a execução ainda está no 6º contrato, então a ideia é colocar o Marajó prioritariamente no 7º contrato, para fazer uma compensação de custo de energia, pois em cada contrato é necessário que seja feita a realização de um custo médio barato de energia de qualidade entregue ao consumidor. Sendo assim, a melhor solução para o Marajó é entrar na 7ª trancha, não havendo a realização de um contrato especifico para a região. Sendo confirmado pelo Ministro, que deverá comunicar oficialmente a deputada que programou a audiência.

Em relação a áreas isoladas, foram discutidas soluções para poder antecipar seu atendimento, pois o custo da energia solar gira em torno de 22 a 26 mil reais por consumidor, necessitando de uma solução intermediária. Solução  que já foi discutida pela Famep, juntamente com a deputada e o Ministro da integração, Antônio de Pádua, que prontamente destinou sua equipe a discutir com a Federação para que juntos, encontrem uma solução para o problema.

Importância do Programa

O Programa Luz para Todos foi concebido como instrumento de desenvolvimento e inclusão social, pois de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no ano de 2000 existiam 2 milhões de domicílios rurais sem acesso ao serviço de energia elétrica, ou seja, cerca de dez milhões de brasileiros viviam sem acesso a energia, sendo em sua maioria, famílias de baixa renda.

E de todas as regiões do Pará, a carência mais acentuada se dá nos 16 municípios que formam o arquipélago do Marajó é com a intenção de promover melhorias econômicas e sociais, uma vez que, o Programa foi prorrogado para o ano de 2022 e levando-se em conta as dificuldades da região.

A Famep mais uma vez reforça seu compromisso com o municipalismo e principalmente com o desenvolvimento do estado do Pará.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.