Uma fiscalização do Ibama resultou na detenção e autuação de 24 pessoas acusadas de crime ambiental, no município de Marabá, sudeste paraense. Carne de caça e aves silvestres foram apreendidas, além de caminhões com carvão e madeira ilegal e armas de caça.

De acordo com a assessoria do Ibama, o órgão montou uma barreira de fiscalização no quilômetro 4 da rodovia PA-150. ‘A escolha do local é porque aqui é considerada uma rota de caça. Existem dois fragmentos de mata bem preservada. Recebemos denúncias de que os caçadores estão autuando aqui’, explicou Nelson Feitosa. Ainda segundo ele, cerca de 15 fiscais do instituto ficaram de plantão desde 0h de hoje para fiscalizar qualquer veículo que passasse pelo local.

Foram apreendidos 18 curiós e um trinca-ferro, aves silvestres que não podem ser mantidas em cativeiro nem ser transportadas sem autorização do órgão competente. Também foram encontradas carne de caça: um veado, um tatu, duas pacas, uma cotia e um jabuti, além de quatro carabinas artesanais, cinco facões e uma motosserra. Um caminhão carregado com carvão vegetal e três com madeira também foram apreendidos por transporte ilegal dos produtos. O motorista do caminhão de carvão fugiu.

Os 24 detidos foram encaminhados para a Seccional de Marabá, onde foram autuados em flagrante por crime ambiental. As bicicletas e motos utilizadas pelos acusados também foram apreendidas.

Eles também foram multados pelo Ibama. O valor é de R$ 500 por animal apreendido. A carne de caça será doada para a Fundação Zoobotânica de Marabá, para servir de alimento aos animais. As aves também serão encaminhadas para a fundação e devem ser devolvidas à natureza.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.