Arrecadação sobe 4,8%, mas investimentos caem R$ 166,3 mi em relação a A receita do Governo do Estado subiu, mas os investimentos caíram. Esta é a conclusão a partir dos dados financeiros do Governo nos anos de 2008 e 2009. O Jornal do Tocantins teve acesso às informações referentes ao ano passado que devem ser publicadas ainda esta semana no Diário Oficial do Estado (DOE). A partir delas traçou-se um comparativo com 2008 em um levantamento que mostra que no ano passado a receita do Governo do Estado foi de R$ 4,3 bilhões, quantia maior que em 2008, quando a receita foi de R$ 4,1 bilhões. No ano passado, houve receita de R$ 203,1 milhões a mais que o ano anterior, equivalente a incremento de 4,8%.

No mesmo período, subiram as despesas com folha de pagamento dos servidores e com os custos para o pagamento de diárias, enquanto os investimentos caíram 18,6% no mesmo período. Para o secretário estadual da Fazenda, Marcelo Olímpio, existe explicação para esta matemática. “Essa redução tem várias justificativas. Foi um momento de crise, não só crise financeira, mas também crise política. Foi um momento de cassação do governador, de transição de governo. A redução é quase insignificante em função dos problemas que tivemos no ano anterior”, afirmou.

O secretário citou o valor de R$ 772,6 milhões como o total de investimentos sendo esta quantia a soma do que realmente foi pago em 2009 (R$ 725,8 milhões) e do que foi empenhado no referido ano (R$ 46,8 milhões). Mas para o comparativo dos balanços financeiros de 2009 e 2008, o JTo considerou as receitas executadas e as despesas pagas, ou seja, as despesas onde os recursos saíram, nos respectivos anos, do cofre estadual. Desta forma, em 2008 os investimentos foram de R$ 892,1 milhões enquanto que, no ano passado, foram de R$ 725,8 milhões.

Em 2009 foram investidos R$ 166,3 milhões a menos que em 2008. Diferença que é a quase o mesmo valor que o Governo do Estado pagou em 2009, a mais, com despesas de pessoal e encargos sociais: R$ 161,8 milhões. Na entrevista, o secretário da Fazenda considerou que o último ano foi atípico. “Realmente, não vai ser um ano para ser comparado. O que eu posso falar é que nesse ano o Governo já investiu, dos recursos próprios dele, mais do que foi investido no ano passado todinho!”, argumentou.

Em seguida, considerou a queda de investimentos registrada como um processo que, na visão dele, teria uma explicação lógica. “Eu defendo o seguinte: o investimento, a tendência dele, é sempre ser inferior. A partir do momento que eu faço um investimento hoje, amanhã eu preciso manter esse investimento realizado. E essa manutenção me gera uma despesa de custeio. A partir do momento que eu tenho que destinar mais recursos do Estado para o custeio, que seria a manutenção dos investimentos realizados, me sobram menos recursos para investimento”, disse.

 O comparativo realizado pelo JTo analisou as principais despesas do Governo do Estado, como as de pessoal, juros e encargos da dívida, pagamento com diárias, obras e instalações, entre outros custos. O levantamento apontou que em 2008 as despesas com pessoal, pagas, foram de R$ 1,4 bilhão e, em 2009, de R$ 1,6 bilhão (ou 11%). Aumento na despesa com pessoal, aumento também com o pagamento de diárias. Em 2008, o custo para esta despesa com o pessoal civil foi de R$ 23,6 milhões e em 2009 R$ 25,5 milhões, alta de 8,1%. Quanto à redução de despesas, além das relacionadas a investimentos, registra-se para 2009 a redução de 3,3% com pagamento de juros e encargos da dívida. (Cléo Oliveira e Lailton Costa – Jornal do Tocantins)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.