Escutas telefônicas revelam como agiam os policiais militares que exigiam dinheiro de estrangeiros e comerciantes, em Belém. A Justiça Militar vai analisar as gravações. Na semana passada, vinte PMs do Segundo Batalhão foram presos por corrupção. Os PMs agiam em seis bairros de Belém há pelo menos um ano, de acordo com a Promotoria Militar.

Foram 30 dias de gravação e seis meses de investigação. Em uma das conversas interceptadas, cabo Celso liga para um estrangeiro, que seria um agiota colombiano que agia em Belém, e pergunta pelo dinheiro. “Não quer me atender, né? Que horas eu pego o dinheiro, o treco lá, que horas eu pego?”, pergunta cabo Celso. “Tu pega isso quarta-feira, porque hoje não tenho nada”, responde a vítima. “Então eu vou deixar pra sábado, pra pegar as duas semanas, tá bom?”, diz o cabo.

Um outra ligação revela a conversa com outro estrangeiro. “Patrão, é o seguinte, eu ainda tou à procura da grana de vocês. Eu tou indo lá pro escritório agora. Eu te dou uma ligada quando eu tiver com o dinheiro”, diz a vítima a cabo Celso.

De acordo com a Promotoria, o PMs também extorquiam pequenos comerciantes e até pescadores que vinham para Belém receber dinheiro do Seguro Defeso. “As investigações apontam que havia uma quadrilha dentro da PM que praticava os mais variados crimes”, diz Armando Brasil, promotor militar.

De acordo com a Promotoria, são oito tipos de crime, e ainda não se sabe quantas pessoas foram vítimas. (G1 PA).

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.