O julgamento do policial militar Rosevan Moraes Almeira, 43 anos, acusado de envolvimento na “Chacina de Icoaraci”, em 2011, que seria realizado na manhã desta terça-feira (19), foi adiado para o dia 22 de outubro. A decisão foi da juíza Ângela Tuma, da 3ª vara do Tribunal do Júri, que deferiu pedido de adiamento no final do expediente da última segunda-feira (18).

De acordo com informações do Tribunal de Justiça do Pará, o adiamento foi solicitado pelo Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (CEDECA), que atua junto ao Ministério Público como assistente de acusação, e foi acatado porque três testumunhas não poderiam comparecer ao tribunal.

Entenda o caso
De acordo com os autos do processo, o crime ocorreu na noite de 19 de novembro de 2011, em Icoaraci, distrito de Belém. Seis adolescentes, com idades entre 12 e 17 anos, conversavam em frente a um prédio público, localizado na rua Padre Júlio Maria, quando foram surpreendidos e executados.

Testemunhas informaram que dois homens chegaram ao local de moto e teriam se apresentado como policiais. Um deles teria ordenado que os adolescentes colocassem as mãos na cabeça e ficassem ajoelhados de costas. Em seguida, um a um teria sido assassinado com tiros na cabeça

Das seis vítimas, cinco morreram no local e a sexta chegou a ser socorrida, mas morreu a caminho do hospital. (G1 PA).

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.