frame3_1
Rai Marques da Silva, de 21 anos, é suspeito de assaltar um supermercado em Xambioá

Rai Marques da Silva, de 21 anos, um dos suspeitos de assaltar um comércio em Xambioá, deu uma ‘piscadinha’ e chegou a mandar um beijo para as câmeras da imprensa quando era transferido para a Casa de Prisão Provisória de Araguaína (CPPA), também no norte do estado. Ele e Antônio Santos de Sousa Rodrigues, 29 anos, foram presos no domingo, 24, após, segundo a Polícia Militar, se fingirem de clientes para assaltar um supermercado.

O problema é que a transferência para a CPPA não foi possível por causa da lotação da unidade. Em função disso, eles tiveram que voltar para a Cadeia Pública de Xambioá.

A CPPA tem um limite máximo de 140 presos e já está lotada. “Infelizmente o Estado não tem vaga para todos os presos provisórios. Então chegou-se a um consenso, durante as reuniões com nossa direção, e abriu-se uma ala no presídio Barra da Grota só para os presos provisórios. Ou seja, eles não estão misturados com os que já foram setenciados”, explica o diretor da CPPA, Magno Reis.

Porém, a dupla não foi levada para o presídio Barra da Grota porque, segundo a Secretaria de Defesa Social, a unidade também está no limite de lotação. Conforme as informações, apenas a Justiça pode dizer para onde os presos serão levados a partir de agora.

O assalto

De acordo com informações do proprietário do supermercado, Expedito Gonçalves, os dois homens chegaram no estabelecimento fingindo ser clientes. Um dos suspeitos foi até o caixa, anunciou o assalto e o ameaçou.

“Pediu o dinheiro que tinha na gaveta, passei para ele. Vendo crédito de celular, tinha um pouco de dinheiro também, passei pra ele e ele querendo mais dinheiro, que tinha a informação que eu tinha mais dinheiro. Eu falei que não tinha dinheiro. E por último foi o dinheiro que estava no bolso, R$ 470, que passei pra ele. E sempre dizendo que ia me bater ou ia me apagar.”

A ação durou cerca de dez minutos. Os suspeitos foram presos na casa da irmã de Antônio, como explica o 2º enente, Fabiano Alexandre. “Ao fazer a abordagem e levar até às vítimas, eles foram reconhecidos como autores do crime. Foi localizado na casa onde eles estavam, que é da irmã de um deles, a arma de fogo e o veículo, que é de propriedade de um deles também, e produtos do crime.”

Com eles foram recuperados R$ 712 em dinheiro, um celular, garrafas de bebidas, um revólver calibre 38 e quatro munições intactas. (G1)

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.