A Prefeitura de Araguaína, por meio da Secretaria do Meio Ambiente, realizou nesta quinta-feira, 16, no auditório municipal Professor Jauro Studart Gurgel, a primeira reunião para discussão dos temas que darão subsídio à elaboração do Plano Municipal de Desenvolvimento Sustentável. Nesta etapa, participaram professores universitários de cursos relacionados ao Meio Ambiente. Outras reuniões e um Fórum Municipal estão previstos.

Além do corpo técnico da Secretaria, estiveram presentes os professores Marcelo Mari, da Faculdade de Ciências do Tocantins (Facit); Eliane Archangelo, do Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos (Unitpac); e Susana Mello, da Universidade Federal do Tocantins (UFT); e o representante do Comitê da Bacia Hidrográfica dos Rios Lontra e Corda (CBHRLC), Agrest Silveira.

“Estamos criando o projeto do zero, baseado em conceitos da Agenda 21 e sugestões que surgirão das discussões desses ciclos de capacitação”, comentou a superintendente municipal do Meio Ambiente, Luana Barbosa.

A coleta seletiva e a arborização urbana foram os temas principais da roda de conversa. Os professores apontaram projetos desenvolvidos nas instituições de ensino que podem ser potencializados e aplicados em todo o Município.

“Nós geramos montanhas de papel nas universidades, isso poderia ser recolhido por catadores e vendido para reciclagem”, observou o professor da Facit, Marcelo Mari. As três instituições de ensino mostraram também projetos de plantio de mudas. “Na Facit, nós incentivamos os alunos a participar de ações ambientais por meio de atividades que contam como extracurriculares. Trabalhar a arborização urbana pode contribuir com essa mudança cultural”, complementou.

Arborização

Araguaína dispõe do Viveiro Municipal, que produz mudas para todos os municípios que compõem a região da Bacia Hidrográfica dos Rios Lontra e Corda, e fiscaliza as mudas já plantadas.

“Para realizar o corte de uma árvore em via pública é necessário pedir autorização, e nem sempre autorizamos. Muitas vezes, é necessário apenas a poda dos galhos. Nem todo mundo entende, é uma conscientização que precisamos trabalhar junto à população”, comentou a superintendente do Meio Ambiente.

A Secretaria possui ainda técnicos que podem ajudar e orientar em diversos serviços, como biólogos, geólogos, agrônomos, gestores e engenheiros.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.