Um desafio diário dos professores é adotar recursos didáticos para conquistar a atenção do aluno, tornando as suas aulas mais dinâmicas. Atento a essa realidade, o Campus Araguatins, do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), promoveu entre os meses de junho e agosto de 2018, o curso de extensão: COLEÇÕES BOTÂNICAS NA ESCOLA: UM RECURSO DIDÁTICO DE APOIO PEDAGÓGICO em parceria com a Delegacia Regional de Ensino (DRE) de Araguatins, direcionado aos professores da rede pública estadual de ensino regular da microrregião do Bico do Papagaio.

Durante o curso, foi apresentado, por meio de aulas práticas, a criação e implantação de coleções botânicas como acervo didático, promovendo a coleta, montagem e demonstração de exemplares de plantas secas e grãos de pólen em lâminas permanentes. Visando promover a prática em Botânica no próprio ambiente escolar em que se encontram os discentes e os docentes envolvidos nas aulas de Ciências e Biologia. Tornando o ensino sobre Botânica mais atrativo e concreto, possibilitando ao docente a diversificação dos recursos didáticos nas escolas públicas envolvidas no projeto.

O curso foi coordenado pelo professor e curador do Herbário do Campus Araguatins, Alessandro Oliveira Silva, sendo executado por ele e também pelos alunos do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da unidade de ensino. Alessandro explica que os acadêmicos envolvidos no curso fazem parte do Laboratório de Investigações Botânicas (LAIBOT), vinculado ao Herbário IFTO, ou seja, uma coleção de plantas secas, conservadas e organizadas taxonomicamente, para fins de pesquisa científica. “Com a participação no projeto, os acadêmicos têm a oportunidade de colocarem em prática os conhecimentos sobre Didática e Botânica, aprendidos durante as aulas da graduação, assim como as habilidades trabalhadas durante as atividades vivenciadas no LAIBOT e no Herbário. O contato mais próximo com professores atuantes na rede pública de ensino também oportuniza a troca de experiências com quem já está atuando na docência. Isso dá ao acadêmico um panorama da prática na educação na microrregião do Bico do Papagaio, já que o projeto abrange a maioria das escolas estaduais dessa região”, frisou o professor.

Para o professor Josel, do município de Sitio Novo-TO, que participou do projeto, as práticas apresentadas no decorrer do curso foram enriquecedoras, e quando forem desenvolvidas em sala de aula incentivará o aluno a estudar mais, uma vez que ele terá contato com a teoria e poderá vivenciar a prática.

O projeto contou com sessenta participantes inscritos, divididos em quatro turmas. A previsão é que ele seja oferecido novamente em 2019.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.