Para comemorar o segundo ano de criação, o 9º Batalhão da Polícia Militar (9 BPM), de Araguatins, realização um semana de programação, repleta de eventos esportivos, cívicos e culturais.

A programação começa neste domingo, 5 e segue até o dia 12.

O evento deste domingo, 5, foi o percurso de 40 km, ida e volta, do passeio ciclístico que reuniu dezenas de atletas no trajeto até a região da Água Amarela, no rodovia Transamazônica.

A programação segue com a inauguração do Memorial Fotográfico do 9º BPM, na sexta-feira, 10. No sábado, 11, tem um torneio de futebol, na Arena Pequi e no domingo, 12, a Corrida do 9º BPM, com uma feijoada de encerramento.

O 9º Batalhão da Polícia Militar – Batalhão Tocantins-Araguaia (BPM), é uma Unidade Operacional da PMTO, pertencente ao Comando do Policiamento do Interior (CPI). Foi criado em 07 de fevereiro de 1991 recebendo naquela oportunidade a denominação de 6º Batalhão da Polícia Militar (6º BPM) – Batalhão Coronel Carlos Costa.

Em 19 de outubro de 1992, foi passada à condição de Companhia Independente, através do Decreto Estadual nº 6.383 datado de 19/10/1992, recebendo, portanto, uma nova denominação: 4ª CIPM – Companhia Independente da Polícia Militar (Coronel Carlos Costa).

Por meio do Decreto Estadual nº 5.471 de 26 de julho de 2016 e republicado em 12/08/2016, a Companhia retorna novamente a condição de Batalhão, 9º Batalhão da Polícia Militar do Estado do Tocantins, Batalhão Tocantins-Araguaia, o “Guardião do Bico”.

Antes da criação do Estado do Tocantins e do 9º BPM, a região denominada “Bico do Papagaio” era policiada pela então 3ª Companhia Destacada do 3º Batalhão da Polícia Militar do Estado de Goiás (hoje, 2º BPM) sediado na cidade Araguaína. Com a criação do Estado do Tocantins, posteriormente a região veio a ser beneficiada com o 9º BPM, o qual veio ao encontro das necessidades existentes e aos anseios da população do Bico do Papagaio.

Os anos anteriores ao surgimento da Unidade na cidade de Araguatins foram marcados por acontecimentos que tiveram repercussão negativa em nível nacional, fazendo com que o Bico do Papagaio fosse visto como uma região violenta. Diversos eventos críticos contribuíram para isso. A morte do padre Josimo Morais Tavares, pároco da cidade de São Sebastião do Tocantins, principal interlocutor dos posseiros na região, ocorrido em abril de 1986, na cidade de Imperatriz/MA, foi um deles.

 

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.