Foram concluídos, nesta semana, os serviços de pavimentação asfáltica de mais quatro ruas situadas nas proximidades do Centro de Convenções de Imperatriz. Obra é resultado de uma parceria público-privado, celebrada entre a Prefeitura e a Faculdade Pitágoras.

De acordo com o secretário de Infraestrutura, Francisco Pinheiro, o conjunto de obras contemplou a execução dos serviços de drenagem profunda, terraplanagem e pavimentação asfáltica das ruas Pará, entre Urbano Santos e Gonçalves Dias; Rui Barbosa, entre Pará e Maranhão; Iracema, entre Gonçalves Dias e Barão do Rio Branco; e Barão do Rio Branco, entre Maranhão e Pará.

Segundo ele, foram executados quase 1.000 metros de pavimentação asfáltica; projeto inclui ainda drenagem superficial com a construção de meios-fios e sarjetas, além de sinalização vertical e horizontal. “Esse trabalho iniciou por uma força-tarefa envolvendo a participação das secretarias de Meio Ambiente, Planejamento Urbano, Infraestrutura e Receita Municipal, com determinação do prefeito Assis Ramos de acabar com o lixão nesta área”, enfatizou.

Prefeito lembrou que, no início da gestão, determinou à Secretaria de Planejamento Urbano, Seplu, que fossem notificados proprietários dos terrenos baldios próximos ao Centro de Convenções, área utilizada para esconderijo de ladrões e focos de transmissão de doenças.

“Ninguém podia mexer, pois contrariava interesses, porém sempre disse no que dia que eu fosse entregar Imperatriz para meu sucessor, não quero que seja a cidade do mesmo jeito que recebi. Imperatriz estará muito melhor, embora tenha que adotar medidas impopulares: colocamos máquinas, vigilância, realizamos limpeza e obrigamos a construção dos muros dos terrenos”, frisou o prefeito.

Assis Ramos afirma que “se não tivesse feito isso, jamais nasceria um novo complexo universitário, onde antes era um grande lixão a céu aberto no centro da cidade”.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.