O Presidente do Sistema (FAET/SENAR), Paulo Carneiro, e a Superintendente Rayley Luzza, participaram, nesta – quinta (30), do 5º Fórum da Assistência Técnica e Gerencial realizado em Brasília. O encontro de trabalho teve o objetivo de alinhar procedimentos e ações prioritárias que possam ser executadas nos estados.

Na ocasião também foram apresentados os resultados e novos projetos para ampliação da metodologia do SENAR, que está transformando a realidade de produtores rurais do Brasil. O presidente da CNA, João Martins, e o diretor-geral do SENAR, Daniel Carrara, participaram do evento. O diretor de Assistência Técnica e Gerencial do SENAR, Matheus Ferreira, explicou a ação integrada de um modelo de capacitação do produtor associada à oferta de ATeG, o que vai resultar na melhoria da produtividade.

“Temos a proposta de atendimento integrando Assistência Técnica com capacitações de Formação Profissional Rural, de acordo com as prioridades das cadeias produtivas por estado”, explicou.

Durante o Fórum, os superintendentes e presidentes de Federações de Agricultura e Pecuária conheceram o Programa de Aproximação com Instituições de Ensino. “A proposta é buscar profissionais ainda no final de sua graduação para que conheçam as ações do Sistema e estejam aptos a atuarem como técnicos de campo do SENAR”, afirmou Matheus.

O SENAR oferece ATeG há cinco anos e, nesse período, já beneficiou mais de 60 mil produtores rurais em 23 estados. De acordo com o diretor, a meta é que nos próximos quatro anos outros 30 mil produtores brasileiros recebam as ações de produção assistida.

O Presidente Paulo Carneiro, comentou que a entidade já atua com ATeG desde 2013, tendo nesse período atendido de 2013 a 2018, mais de 8.000 produtores com 80.000 consultorias e recomendações técnicas. “Então esse Fórum especifico de ATeG, vem auxiliar no aprimoramento das nossas ações no estado do Tocantins”. Concluiu o Presidente.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.