Dando seguimento aos trabalhos de inspeções ordinárias, a corregedora regional eleitoral, desembargadora Ângela Prudente, esteve nesta terça-feira, 21, no Cartório da 27ª Zona Eleitoral com sede em Wanderlândia. Na ocasião também foi realizada audiência pública que contou com a presença da juíza eleitoral, Wanessa Lorena Martins de Sousa Motta, além de autoridades locais e servidores da Justiça Eleitoral.

A Corregedora falou sobre a importância da excelência na prestação jurisdicional citando as palavras do professor Fredie Didier Júnior, “não basta a simples garantia formal do dever do Estado de prestar a Justiça; é necessário adjetivar esta prestação estatal, que há de ser rápida, efetiva e adequada”.

“Estamos imbuídos em instituir um modelo de corregedoria mais proativa, buscamos ainda programar ações de forma participativa com os integrantes da Justiça Eleitoral, que foram muito além das atividades intrínsecas básicas, inicialmente impostas. Sempre buscamos o aprimoramento”, disse a Desembargadora Ângela Prudente.

A equipe da inspeção verificou os trabalhos administrativos do cartório, procedimentos de controle, organização, documentação, cadastro eleitoral, direitos políticos, filiação partidária, processos, bem como instalações físicas do Cartório e demais procedimentos constantes do Roteiro de Inspeção 2018 do SICEL.

Autoridades

Também participaram da audiência pública: o representante da OAB Subseção de Araguaína, Djalma Araújo Ferreira Junior; o Prefeito de Wanderlândia, Eduardo Madruga; o contador Eusimar Pereira Rocha; o Procurador do Município, Thiago Batista de Araújo Pereira; o profissional de comunicação, Jair Medeiros; e o Chefe de Cartório, Glauber do Brasil.

Comissão da Inspeção

Integram a comissão da Corregedoria Regional Eleitoral encarregada dos trabalhos de Inspeção: Ana Carina Mendes Souto, Marisa Webler, Ateon Alves de Siqueira, Zilânia Filgueiras, Ivana Aparecida Leão Resende e José Renato Guimarães.

- Publicidade -

FAÇA UM COMENTÁRIO

Atenção: Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do Jornal. Se achar algo que viole ou fira sua honra pessoal, envie para o email: [email protected] que iremos analisar.